Alceu Valença se apresenta hoje na Caixa Cultural SP

Em seu repertório, o cantor apresenta clássicos como
Em seu repertório, o cantor apresenta clássicos como "Anunciação" e "Tropicana" - FOTO: Divulgação
O cantor, compositor, ator, cineasta e agitador cultural Alceu Valença se apresenta hoje, às 19h15, no palco da Caixa Cultural São Paulo com o show "Acústico". Acompanhado da viola de Paulo Rafael, da sanfona de André Julião e empunhando seu próprio violão, Valença irá interpretar canções que compôs e cantou pelas ruas das muitas cidades e países por onde tem andado durante sua trajetória. O centro cultural fica na Praça da Sé, 111, na área central. A entrada é gratuita. Os ingressos serão distribuídos a partir do meio-dia. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3321-4400. 

O show traz um repertório de hits e músicas que auxiliaram na construção de uma carreira prestigiada e vitoriosa do cantor pernambucano. Inclusive algumas dessas canções são sucessos que foram compostos em São Paulo, no início dos anos 1980, como "Tropicana" e "Pelas Ruas que Andei". Ambas em parceria com Vicente Barreto, morador de "Sampa". Uma provável surpresa do roteiro musical, da mesma época e ambientada na capital paulista, deve ser a inclusão de "Dia de Cão": "Pelas Ruas de São Paulo/Você Foi Meu Agasalho/Naquele Dia de Cão...".

"Na Primeira Manhã", "Íris", "Solidão", "Cavalo-de-Pau", "Belle de Jour", "Ladeiras", "Táxi Lunar", "Coração Bobo", "Papagaio do Futuro" e "Anunciação" são composições requisitadas que não podem faltar em suas apresentações. Também constam do roteiro musical inéditas como a toada "Apoena" (feita em Paris no fim dos anos 1970, e jamais editada em disco por aqui). A música está no disco "Saudades de Pernambuco", que foi gravado na França em 1979; um álbum que deverá ser lançado, em vinil, pela Deck/Polysom.

"Alceu Valença - Acústico", com direção de produção da Verastar Criações Artísticas e Culturais, é um espetáculo mais intimista do que os habitualmente realizados pelo artista. Sobre o formato, o cantor faz questão de esclarecer que se sente absolutamente confortável: "Me sinto cantando na casa das pessoas, interagindo com a plateia... e ainda encontro espaço para contar algumas histórias dos tempos em que vivia em São Bento do Una", finaliza Valença. 

Deixe uma resposta

Comentários