Feira do Emprego atrai mais de 8 mil pessoas ao Pró-Hiper

Interessados de Mogi e região lotaram o Pró-Hiper logo na manhã de ontem
Interessados de Mogi e região lotaram o Pró-Hiper logo na manhã de ontem - FOTO: Fotos: Daniel Carvalho
A Feira do Emprego e Empreendedorismo, promovida ontem pela Prefeitura de Mogi das Cruzes, atraiu mais de 8 mil pessoas ao Pró-Hiper, no Mogilar. Além dos mogianos, muitos moradores de outras cidades da região também acordaram cedinho em plena sexta-feira para não perder o evento.

Entre os candidatos estavam pessoas das mais diferentes idades e formação profissional. Se para alguns essa era a oportunidade de ingressar no mercado de trabalho, para outros era a chance de recuperar a condição de "trabalhador ativo", status que jamais gostariam de ter perdido. O objetivo principal, no entanto, era o mesmo para todos: conquistar o tão sonhado emprego.

No local, os presentes puderam se candidatar a 1.087 vagas de trabalho oferecidas por meio do "Emprega Mogi", com o apoio de agências de recrutamento e entidades parceiras, bem como assistir a palestras e capacitações, além de desfrutar de uma série de atividades gratuitas, tais como elaboração de currículos e emissão da carteira de trabalho.

O sucesso da ação foi comemorado pelo secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Social, Rinaldo Sadao Sakai, que mesmo no início do evento já vislumbrava que uma multidão passaria pelo local. "A nossa expectativa é atender cerca de 10 mil pessoas. Juntamente com entidades parceiras, estamos ofertando uma série de serviços, que deve atrair gente de toda a região. Fomos surpreendidos com um grande movimento já na abertura do evento e acreditamos que será assim o dia todo", projetou.

A mogiana Angélica da Silva, de 25 anos, foi uma das primeiras pessoas a ser atendida no evento. Além de se cadastrar junto ao Emprega Mogi para disputar um dos postos de trabalho disponíveis, ela também aproveitou para elaborar novos currículos. "Eu estou desempregada há um ano e está muito difícil conseguir emprego. Achei ótimo o atendimento. Vim cedo para aproveitar o resto da manhã para distribuir currículos nas empresas e comércios do centro da cidade", contou.

A mesma dificuldade para retornar ao mercado de trabalho também está sendo sentida por Maria de Fátima Tavares, de 47 anos, que se mudou para Mogi há quatro meses, justamente para trabalhar. "Eu vim do norte do País para tentar a vida aqui em São Paulo, porque aqui as condições são melhores. Mas não tem sido nada fácil. Quando ouvi falar dessa feira, não perdi tempo e vim tentar uma oportunidade", contou.

Durante o evento, os Microempreendedores Individuais (MEIs) também receberam informações sobre a melhor forma de empreender e, principalmente, como se regularizar.

A iniciativa foi elogiada pela microempresária Paula Rosa Eduarda, de 31 anos, que atua na área da beleza. "Tenho meu próprio negócio já faz um ano e agora pretendo me regularizar. Não apenas para poder trabalhar com tranquilidade, mas também para ter direito a benefícios, como o INSS, por exemplo".