Frente de Trabalho abre inscrições

Interessados devem comparecer na Praça de Eventos
Interessados devem comparecer na Praça de Eventos - FOTO: Julien Pereira/Secom Poá
A data das inscrições para a Frente de Trabalho de Poá foi definida e serão cinco dias para a realização de cadastros, na Praça de Eventos Lucília Gomes Felippe. Os interessados devem se dirigir até o local entre os dias 8 e 12 de maio, das 9 às 17 horas. O programa permite a ocupação de até 600 trabalhadores de acordo com a legislação, porém, alguns postos já estão preenchidos por meio da ação e o número de vagas disponibilizadas não foi divulgado.

Os candidatos selecionados serão remunerados com um salário de R$ 802,85, auxílio cesta básica de R$ 135 e mais o seguro de acidentes pessoais. A jornada dos frentistas será de 40 horas semanais, sendo 35 horas de trabalho e cinco para qualificação profissional ou alfabetização. A participação nos cursos é obrigatória.

Esta ação faz parte do Programa de Combate ao Desemprego e Incentivo a Qualificação Profissional e é administrada pela Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Emprego e Relações do Trabalho. O projeto de lei número 3.623/2013 foi aprovado no mês passado com algumas emendas e publicado, oficialmente, na semana passada.

De acordo com a pasta responsável, o recrutamento de pessoal será feito mediante seleção pública. Os candidatos devem comprovar residência em Poá por, pelo menos, dois anos. As inscrições também terão validade de dois anos. "Isso aumenta o prazo de permanência do inscrito e a possibilidade de ser chamado", informou a Secretaria.

A Frente de Trabalho oferece emprego fixo, pois é um programa assistencial e de qualificação profissional. Isso não significa que os inscritos vão arrumar trabalho com registro em carteira, por meio da ação. Quando terminar o período do programa, o beneficiário estará qualificado para buscar a oportunidade de um emprego fixo no mercado de trabalho.

As vagas são para diversos setores da prefeitura, desde obras até a parte administrativa, que são distribuídas entre as secretarias de acordo com a necessidade de cada pasta.

No mês passado, Ricardo Massa, que é secretário municipal de Indústria, Comércio, Emprego e Relações do Trabalho revelou que existe um déficit nas inscrições do programa e destacou a necessidade de atualização dos cadastros já existentes e que há uma dificuldade para localizar as pessoas que estavam nos cadastros antigos. (F.F.)

Deixe uma resposta

Comentários