Mutirão será feito para reduzir fila por ultrassom

A Prefeitura de Poá deverá promover um mutirão para a realização de exames de ultrassom a partir de maio. A ação, que visa reduzir a fila de espera de mais de cinco meses, foi cobrada pelo vereador Saulo Souza (SD). Isso porque o parlamentar tem sido procurado por várias munícipes para reclamar sobre a demora em conseguir o serviço nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

No último dia 10, o vereador protocolou uma indicação na Secretaria de Saúde de Poá questionando a alta demanda de mulheres esperando para fazer o exame de ultrassom transvaginal. "Neste documento eu sugeri a realização de um mutirão para que a fila de espera seja zerada. É um absurdo que as mulheres de Poá tenham que esperar tanto tempo para fazer esse exame tão importante para prevenção de doenças graves", destacou.

De acordo com a resposta encaminhada pela Prefeitura de Poá e assinada pelo secretário adjunto da Saúde, Almir Rodrigues Tavares, a pasta já está realizando os estudos necessários para que um mutirão seja viabilizado para atender a demanda de ultrassom transvaginal reprimida da cidade e que a meta é que os atendimentos sejam iniciados já no próximo mês. A expectativa é que a administração municipal anuncie em breve mais detalhes sobre a ação.

Segundo Saulo, a cidade está sem o serviço desde a gestão do ex-prefeito Marcos Borges (PPS). "Nós cobramos também maior oferta de atendimentos médicos especializados e de exames de especialidades, já que tem sido frequente a queixa de munícipes que estão doentes e vivem a incerteza de conseguir um tratamento médico digno para si ou para seus familiares", completou o vereador.

O município de Poá conta hoje com o atendimento em dez especialidades, sendo elas Oftalmologia, Dermatologia, Urologista, Ortopedista, Cardiologista, Neurologia, Reumatologista, Endocrinologista e Vascular. Os demais serviços são oferecidos pelo governo do Estado, por meio da Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross), que é vinculada a Secretaria de Estado da Saúde.

 

Deixe uma resposta

Comentários