Legião Mirim completa 41 anos auxiliando jovens

Desde o início do projeto, ação já auxiliou na formação do futuro de 19.517 jovens
Desde o início do projeto, ação já auxiliou na formação do futuro de 19.517 jovens - FOTO: Divulgação
A Legião Mirim de Mogi das Cruzes, entidade sem fins lucrativos composta por voluntários de diversos segmentos e também por vários policiais, completou 41 anos no dia 21 de abril e promoveu, no último final de semana, uma partida de futebol no Tiro de Guerra (TG) da cidade, para comemorar a satisfação de ter auxiliado, ao longo de sua existência, na formação e preparação para o futuro de 19.517 jovens. 

Segundo o presidente da Legião Mirim de Mogi, Ediel Braz Soares, 80% desses jovens hoje são profissionais de destaque e sucesso em seus respectivos campos de trabalho, a exemplo de policiais militares e civis, advogados, gerentes de banco e supermercados, secretário municipal, engenheiro químico, vereadores e outros. "É com muito orgulho que digo que foi graças a essa mesma entidade, e trabalhando no 17º Batalhão, que recebi ótimas lições para minha formação, junto aos ensinamentos da Polícia Militar", ressaltou. Ediel completou que, no futebol, os Legionários Mirins venceram o time dos atiradores do Tiro de Guerra e que a festa de confraternização serviu para marcar os 41 anos de aniversário da entidade pelos serviços de cunho filantrópico e social desenvolvidos em benefício aos adolescentes.

O tenente-coronel Felício Kamiyama, comandante do 17º Batalhão da Polícia Militar em Mogi das Cruzes, é conselheiro da Legião Mirim há mais de dez anos. "Vejo esses 41 anos com muita alegria, até porque muitos desses jovens irão se tornar profissionais de destaque, até no campo político, assim como já aconteceu com muitos que conhecemos", destacou.

A Legião Mirim de Mogi desenvolve atividades e palestras educativas, a fim de nortear o futuro dos jovens e atualmente atende cerca de 100 deles, auxiliando-os a ingressar no mercado de trabalho e proporcionando-lhes lições de cidadania, civilidade e respeito; valores que estão perdidos no mundo contemporâneo, conforme frisou um dos idealizadores da entidade e seu vice-presidente, o secretário de Segurança de Mogi, coronel Paulo Roberto Madureira Sales.