Quem é Jesus Cristo?

O clima emocional naqueles dias das festividades da Páscoa em Jerusalém, após a morte de Jesus na cruz, não era nada favorável à esperança da sua ressurreição na mente dos seus discípulos. A tristeza e o desalento, após a morte tão violenta do Mestre, os fez perder a bússola da fé que sempre os guiava, em companhia Dele, pelas estradas poeirentas da Palestina.

Dois deles estavam a caminho de Emaús, um vilarejo que distava 11 quilômetros de Jerusalém, comentando com pesar os acontecimentos há três dias naquela cidade, quando um terceiro caminhante se agregou a eles e perguntou: "O que é isso que vos preocupa nessa conversa"? "Você é o único que ignoras as ocorrências destes últimos dias"? "Quais"? "O que aconteceu a Jesus, o Nazareno, que era varão profeta, poderoso em obras e palavras, diante de Deus e de todo o povo, e que pelos sacerdotes e autoridades o condenaram à morte por crucificação"? Ora, nós esperávamos que fosse ele quem havia de redimir a Israel, mas, hoje, já é o terceiro dia...".

O caminho de Emaús é o caminho da derrota do cristão quando ele perde a esperança da realização das promessas. Os olhos da fé só voltaram a brilhar quando reconheceram Jesus no partir do pão, vivo e vitorioso sobre a morte.

Os dois maiores acontecimentos de todos os tempos: a morte do Filho de Deus na cruz e a Sua ressurreição deixando o túmulo vazio. Conta-se que John Lennon disse certa vez: "O Cristianismo acabará. Ele desaparecerá. Eu não preciso argumentar sobre isso. Eu tenho certeza que o tempo provará que é verdade. Nós somos mais populares que Jesus agora". É verdade, "agora", porque o tempo passou, John Lennon morreu e não ressuscitou, e o êxtase da popularidade dos Beatles para trás ficou.

Que os nossos festejos da Páscoa não nos satisfaçam apenas por esvaziar as longas prateleiras do comércio repletas de ovos de chocolate, porém, muito mais, pela morte de Cristo na cruz e pela Sua vitória sobre a morte que nos deu vida eterna para viver com Ele, no Céu.

Deixe uma resposta

Comentários