Santo!

Estou empenhado em conseguir assinaturas, visando a canonização do governador.

Indagava-me, tempos atrás, por que, nas mendazes delações premiadas que envolvem sua administração, era cognominado Santo!

Enfim, após resposta apresentada a jornalista que indagava sobre as pechas e aleivosias que são dirigidas, convenci-me que merece o apelido!

Afinal, esclareceu que, pelo longo tempo que se dedica ao povo paulista, lapso em que a corrupção sequer resvalou nos órgãos estaduais; em que se investigaram fantasiosos superfaturamentos no Metro e no Anel Viário entre outros, nada auferiu em seu favor. Ao contrário, com a vontade única de servir, perdeu boa parte do seu pouco patrimônio, arcou com incomensurável prejuízo!

E dai pergunto: homem aceta, que desprendido de vantagens pessoais, em tempo de materialismo exacerbado, se propõe a dar de si para o bem comum, não é digno de ter o seu nome inscrito na lista dos ungidos?

Ora, se o Vaticano tem canonizado este ou aquele, só porque ousou praticar milagres, ou ter a vaidade em dedicar a vida à prestação de serviços a miseráveis esquecidos pela sociedade, o que não fará quando souber da façanha do prestigiado gestor? Além do título, ainda reservará lugar de honra entre os Papas ao seu descanso eterno!

Aliás, o exemplo deve ser seguido por todos nós, seres defeituosos que insistem em arrecadar moedas, ao menos para manter o abominável ato de se alimentar diariamente!! O jejum eterno; a alimentação através do ar e da luz - a solar, é bem verdade, eis que a outra ... -; talvez seja o melhor método de se chegar à perfeição!

Sem radicalismos, no entanto! Tostões têm que ser conseguidos para a quitação dos impostos, caso contrário, isento de propinas graças à pureza de seu líder, irá o Estrado à quebra, deixando de reverter em nosso favor, como tem feito, tantos benefícios!!!!

Por tudo isso, peço, por favor, que pensem em minha proposta, e incitem outros a endossar o documento. Simples assim!

Deixe uma resposta

Comentários