Contracapa

Ferramenta mostra ao usuário de ônibus em quanto tempo o coletivo vai chegar ao ponto
Ferramenta mostra ao usuário de ônibus em quanto tempo o coletivo vai chegar ao ponto - FOTO: Daniel Carvalho
Palestra

A Câmara de Mogi vai abrigar no dia 25, às 19 horas, uma palestra com o tema "A mobilidade desejada - tendências". A apresentação ficará a cargo do engenheiro Jurandir Fernandes, ex-secretário de Estado de Transportes Metropolitanos e atual coordenador do Conselho Assessor de Transportes e da Mobilidade Urbana do Sindicato dos Engenheiros.

Questões

A realização do debate é da Comissão de Transportes da Câmara e da Delegacia Sindical do Sindicato dos Engenheiros no Alto Tietê. Entre as questões a serem abordadas estão o impacto da Internet no transporte público de passageiros e o uso do cartão eletrônico e do GPS para auxiliar os cidadãos na locomoção.

Aplicativos

A palestra também vai falar sobre as decisões da gestão pública na definição do espaço voltado ao transporte público, bicicletas e pedestres. O engenheiro tratará ainda das questões que envolvem a regulamentação dos aplicativos de transporte.

Atual

"A prefeitura acaba de fazer o lançamento do aplicativo Mogi no Ponto. Além disso, a Câmara está discutindo com bastante profundidade a possível regulamentação dos aplicativos de transportes", disse o presidente da comissão, vereador Cláudio Miyake (PSDB).

Seja Líder

As inscrições para o projeto Seja Líder estão abertas. A iniciativa do Movimento Seja e do Laboratório Humanista reunirá 40 estudantes do ensino médio da cidade para um debate sobre a política brasileira da atualidade. A dinâmica, com base nos Jogos de Poder e na Teoria da Gamificação, ocorrerá na Câmara de Mogi.

Debate

A simulação de cenários políticos está marcada para os dias 9 e 10 de junho. Na prática, os selecionados passam por uma preparação, na qual eles começam o debate de assuntos cotidianos para que, com essa experiência, possam discutir a política e a economia do Brasil.

Mais conscientes

A intenção é formar jovens mais conscientes e críticos. "E isso não vale somente para a política e sim para as relações em ambientes escolares ou familiares. Essa formação de líderes os permite enxergar que as relações de poder estão em todos os âmbitos da vida em sociedade", aponta o idealizador do projeto, professor José Henrique Porto, do Laboratório Humanista.

Deixe uma resposta

Comentários