Fundo Social

Com a proximidade do inverno, os Fundos Sociais de Solidariedade da região, que já apresentaram algumas campanhas neste primeiro semestre, chegam em um momento fundamental com a abertura da Campanha do Agasalho, sem dúvida, uma das mais importantes iniciativas. A partir deste ano, os Fundos Sociais da região contam com novas figuras, que ainda estão em fase de adaptação no cargo - já que a maioria das atuais primeiras-damas está debutando na função.

Mesmo assim, alguns nomes como Larissa Ashiuchi (Suzano), Karin Melo (Mogi) e Andressa Lopes (Poá), entre outras, apesar da falta de experiência, vêm mostrando grande participação nas ações do órgão que comandam. Isso já era notado no período de transição dos governos dos municípios, quando as então futuras primeiras-damas já se reuniam com a ex-primeira-dama de Mogi Mara Bertaiolli e com Joerly Nakashima, experiente e atual primeira-dama de Itaquá, para captar algumas dicas e entender como funciona melhor o trabalho de parceria com as entidades que auxiliam nas doações para as campanhas.

A meta de Karin é ousada, já que no primeiro ano à frente do órgão, sua intenção é superar a arrecadação de 2016, quando 331.527 peças foram arrecadadas. Na ocasião, Mara Bertaiolli já comandava o Fundo Social de Mogi há oito anos. Os números conquistados pela ex-primeira-dama são notáveis, tanto que recebeu grande destaque em toda mídia regional: em 2009, em seu primeiro ano de comando, foram 160 mil peças arrecadadas - e os números só cresceram ao longo do mandato do ex-prefeito Marco Bertaiolli (PSD).

Já em Suzano, Larissa prevê arrecadação de mais de 80 mil peças e contemplar cerca de 20 mil famílias. Uma das novidades nesta edição é que uma loja será inaugurada exclusivamente para a coleta de peças, no Suzano Shopping. A Loja do Bem, como foi batizada, será inaugurada neste mês.

O envolvimento dessas mulheres ajuda a construir a imagem das cidades e traz mais credibilidade aos governos. Que os Fundos Sociais continuem ampliando suas ações e envolvendo cada vez mais os munícipes, pois confirmam que o cidadão pode contribuir para o bem de sua comunidade. Mostram também que muitas ações podem ser feitas sem aprovação de projeto e burocracia. Prefeitos, secretários e deputados foram eleitos para fazerem seus trabalhos, e quanto mais envolvida estiver a população com os problemas, mais à vontade estará para cobrar o Poder Público.

Deixe uma resposta

Comentários