Aumenta o número de ambulantes cadastrados

Cidades da região planejam a ampliação da formalização dos comerciantes de rua
Cidades da região planejam a ampliação da formalização dos comerciantes de rua - FOTO: Wanderley Costa/Secoi Suzano
O Alto Tietê tem quase 500 vendedores ambulantes cadastrados e trabalhando regularmente nas ruas das principais cidades da região: Itaquaquecetuba, Poá, Mogi das Cruzes e Suzano. Os dois últimos são os municípios que concentram o maior número de regularizados, somando mais de 300.

Na cidade suzanense, é impossível não se deparar com ambulantes nas ruas centrais e nos semáforos. Segundo informações da administração municipal, a estimativa é que cerca de dez vendedores atuam de forma irregular, mas que estão em constante processo de remoção pela Secretaria de Planejamento Urbano e Habitação em conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Geração de Empregos e Renda. Eles, inclusive, têm as mercadorias apreendidas. "Ainda de acordo com a pasta, quando a Prefeitura realizou uma ação específica na rua General Francisco Glicério, em janeiro, foram retirados aproximadamente 200 ambulantes", informou por meio de nota. A prefeitura ainda adiantou que estuda um projeto para definir qual é o número ideal de ambulantes na cidade.

Atualmente, Suzano tem um cadastro com 180 vendedores ambulantes, segundo informou a administração municipal. A pasta de Desenvolvimento Econômico ainda ressaltou que o número de pessoas interessadas em se cadastrar é superior à quantidade de licenças em análise para serem ofertadas. "Será dada prioridade para pessoas de Suzano e em situação mais vulnerável", salientou.

Nas ruas de Mogi, têm 194 trabalhadores informais cadastrados, segundo dados da Secretaria Municipal de Segurança, que padronizou esse tipo de serviço na cidade, em que os vendedores dessa categoria também passam por cursos de capacitação. Destes, 70% atuam no ramo de alimentos e 30% com armarinhos. "Outro benefício está na taxa de licença que permanece com valores congelados em R$ 10 para quem trabalha com barracas e R$ 500 para os trailers, além do valor de R$ 41,30 para a ocupação do espaço público", revelou a pasta.

Em Poá, estão licenciados cerca de 60 comerciantes de rua, segundo dados divulgados pela Secretaria de Indústria, Comércio, Emprego e Relações do Trabalho e o departamento de fiscalização. A pasta adiantou que está trabalhando para que sejam formalizados mais ambulantes na cidade.

Já em Ferraz de Vasconcelos, a prefeitura não soube informar quantos trabalhadores informais atuam na cidade. No entanto, a Secretaria de Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia adiantou que 50 vagas devem ser abertas para que os camelôs sejam regularizados. A previsão é que, no segundo semestre, os ambulantes sejam instalados em uma área específica. Em Itaquá, a previsão é que sejam formalizados 56 ambulantes.

Deixe uma resposta

Comentários