Comédia clássica 'Chica Boa' será encenada hoje

Os ares renovadores de Chica Boa abalam os pilares retrógrados de uma família
Os ares renovadores de Chica Boa abalam os pilares retrógrados de uma família - FOTO: Divulgação
Contemplada pelo Programa de Ação Cultural (ProAc) de Circulação de Espetáculo, da Secretaria de Estado da Cultura, "Chica Boa", comédia clássica do repertório do circo-teatro brasileiro, viaja desde janeiro por quatro diferentes polos do Estado de São Paulo (Noroeste, Leste, Grande São Paulo e Vale do Ribeira). A primeira cidade visitada foi Sorocaba, e hoje, às 20 horas, é a vez de Mogi das Cruzes.

A apresentação será no Galpão Arthur Netto, localizado na avenida Fausta Duarte de Araújo, 23, Jardim Santista. Os ingressos serão no esquema pague quanto puder, também conhecido como "ingresso no chapéu", e serão distribuídos a partir das 18 horas. Mais informações pelo telefone 3433-9841. 

"Chica Boa", de Paulo Magalhães, ganhou montagem em São Paulo, no ano de 2013, na ocasião de encerramento do projeto de Ocupação na Funarte-SP 'Do Riso ao Choro'. A peça cumpriu temporada e foi apresentada nos Festivais de Teatro de Extrema (MG) e de Pindamonhangaba (SP). Com direção de Fernando Neves, auxiliado por Kátia Daher, o espetáculo privilegia as situações ligeiras, ágeis e ritmadas. Seus personagens são definidos mais pelos tipos que evocam do que por um suposto psicologismo.

A história se passa no Rio de Janeiro, no bairro de Santa Teresa. Dona Engrácia, uma velha rabugenta e autoritária, comanda a rédeas curtas seus familiares, sobretudo o marido Teodósio. A situação começa a mudar quando a jovem Chica Boa surge inesperadamente. Os ares renovadores trazidos por Chica, assim como seu misterioso passado, abalarão para sempre os pilares retrógrados sob os quais vivem a família.

No elenco estão Eliana Bolanho, Flávio Pires, Guto Togniazzolo, Juliana Gontijo, Luciana Viacava, Nereu Afonso e Vera Abbud. A direção musical é de Fernando Esteves, os figurinos e o visagismo de Carol Brada. Fernando Neves, Marcelo Andrade e Zé Valdir (cenotecnia) assinam a cenografia. A iluminação é de Eduardo Reyes, a fotografia de Ligiane Braga, e Eneida de Souza responde pela produção e administração.