Câmara pressionará o Estado para a reforma das estações

Assunto foi debatido pelos vereadores na sessão ordinária realizada ontem
Assunto foi debatido pelos vereadores na sessão ordinária realizada ontem - FOTO: Juliana Oliveira
A Câmara Municipal vai pressionar o governo estadual para que a reforma das estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) saiam do papel, especialmente a de Mogi das Cruzes.

Na última semana, o vereador Antonio Lino da Silva (PSD) participou de uma reunião com a diretoria da autarquia junto com o prefeito Marcus Melo (PSDB) para conversar sobre o assunto. Ele lembrou que durante a audiência da Lei Orçamentária do Estado de São Paulo para 2018 os vereadores apresentaram um pedido conjunto para a reforma das estações.

Lino informou que apenas para a reforma da estação de Mogi será necessário investir R$ 80 milhões e que o projeto custará R$ 2 milhões. "Na audiência do orçamento realizada na Câmara apresentamos uma emenda para que as estações de trem fossem reformadas. Ferraz de Vasconcelos, Poá e Suzano já foram contempladas e estamos esperando as nossas. Pelo jeito, isso não vai ocorrer tão rápido, a não ser que continuemos cobrando", ressaltou.

De acordo com o vereador, parte do valor que seria utilizado para a reforma das estações da cidade foi remanejado pelo governo estadual. "Eram R$ 40 milhões que poderiam ser utilizados para parte da reforma, mas o governo remanejou da CPTM para as obras da Tamoios", acrescentou.

Silva informou que o projeto da reforma da estação Mogi das Cruzes não deve manter os traçados concebidos há alguns anos, quando a autarquia se comprometeu a realizar a modernização. "Recebemos a indicação da diretoria da CPTM para que os pedidos fossem feitos para a Casa Civil e ontem (segunda-feira) tivemos a oportunidade de estar com o secretário Samuel Moreira e fazer a reivindicação da reforma das estações", ressaltou.

O vereador informou que durante reunião com a CPTM também foi cobrada uma solução para o desnível que existe na plataforma da estação Brás Cubas. A companhia informou que uma reforma está sendo realizada no local, como já havia noticiado o Mogi News. "Por causa das obras, a CPTM informou que durante 14 dias a plataforma sentido centro ficará fechada e no sentido Jundiapeba serão 13 dias. Nesse período, os usuários terão que ir até a estação Mogi para retornar, bem como até Jundiapeba", esclareceu.

Segundo Silva, durante reunião na Casa Civil foi solicitada a reforma da ponte da Volta Fria, além da interligação das rodovias Mogi-Salesópolis (SP-88) e Mogi-Bertioga (SP-98).

Deixe uma resposta

Comentários