Santa Casa segue atendendo apenas gestantes mogianas

Superlotação da Maternidade será reduzida após a construção da nova unidade
Superlotação da Maternidade será reduzida após a construção da nova unidade - FOTO: Mogi News
A Santa Casa de Mogi das Cruzes mantém a restrição ao atendimento das gestantes de cidades vizinhas em decorrência da superlotação da UTI Neonatal do hospital. Ontem, 27 recém-nascidos estavam internados na Santa Casa, sendo que a capacidade é de 25 leitos. De acordo com o secretário de Saúde Marcello Cusatis, a Secretaria de Estado da Saúde solicitou informações complementares sobre o projeto de ampliação da maternidade. 

De acordo com informações do hospital, a restrição continuará até que a situação se normalize no setor. Essa não é a primeira vez que a Santa Casa enfrenta problemas de superlotação - é o terceiro caso no ano. Segundo a unidade, a lotação atinge apenas a UTI Neonatal. A área de enfermaria não foi afetada nesta oportunidade, diferentemente do que ocorreu em junho e maio passados.

A Prefeitura e a Santa Casa haviam apresentado em agosto um projeto de ampliação da unidade para o Departamento Regional de Saúde (DRS 1) do Estado de São Paulo. O projeto prevê aumento no número de leito para gestantes e da UTI Neonatal.

O secretário de Saúde, Marcello Cusatis, destacou que é preciso encontrar uma solução definitiva. "A superlotação é um problema crônico que precisa ser resolvido. Na sexta-feira recebi um ofício da Secretaria de Estado da Saúde que estava em dúvida sobre alguns cálculos que a Santa Casa havia feito para a expansão da maternidade. Estou respondendo entre hoje e amanhã. Vamos ver o que eles falam", acrescentou.

Cusatis lembrou da necessidade da instalação de uma maternidade municipal. O prefeito Marcus Melo (PSDB) mostrou recentemente ao secretário da Casa Civil, Samuel Moreira, o projeto para a unidade. "A cada dois ou três meses temos o problema de superlotação. Com o fechamento das maternidades privadas a situação piorou. É fácil sentar longe do problema. Precisamos expandir a maternidade. A equipe fica muito sensível e nos angustia a rede hospitalar não estar em nossas mãos. Todo mundo está sem recurso, mas se cada um ajudar um pouco, o governo Estadual e Federal, conseguimos avançar nesse assunto", disse.

O setor de emergência engloba a própria UTI Neonatal, cuidados intermediários I e II, berçário externo e isolamento interno. Juntos, eles somam 25 leitos. Na madrugada de sábado, a UTI recebeu 30 recém-nascidos.

Posicionamento

O Departamento Regional de Saúde (DRS) da Grande São Paulo esclarece que aguarda a reformulação do projeto por parte da Prefeitura de Mogi das Cruzes, a partir das considerações feitas pela equipe técnica.

Deixe uma resposta

Comentários