Serviços podem ser afetados e hospital pode fechar em Poá

Marquinhos Indaiá e Guinger falaram com jornalistas
Marquinhos Indaiá e Guinger falaram com jornalistas - FOTO: Flávio Aquino/Secom Poá
Além do fechamento do setor de pediatria, o Hospital Municipal "Guido Guida" pode ter outros serviços cortados até o final do ano. De acordo com o vice-prefeito e secretário de Saúde, Marcos Ribeiro da Costa, o Marquinhos Indaiá, mesmo com a contenção de despesas já realizada até o momento, o risco de a unidade fechar completamente é grande. A meta da administração é repassar a responsabilidade pelo custeio para o Governo do Estado, já que neste momento não tem condições de arcar com a operação do hospital.

Em entrevista coletiva concedida ontem, o chefe da pasta, ao lado do diretor da Secretaria de Saúde, Walter Guinger, afirmou que não se trata de fechamento da pediatria e sim um redirecionamento do atendimento.

Segundo ele, os quatro médicos pediatras que atuavam até o final da semana passada no hospital estão atendendo agora nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), onde já trabalhavam outros 15 profissionais. 

Com esse redirecionamento destacado pelo secretário, o setor deixa, sim, dev existir no hospital, que a partir de agora faz apenas a triagem dos casos mais urgentes com a ajuda de um médico clínico geral. "Essa seleção de pacientes indica quem pode ir para a UBS mais próxima e lá ser atendido e quem precisa ser levado para outro hospital, por precisar de um atendimento mais urgente. Nesse caso, o transporte é feito por nós aqui do hospital, é de nossa responsabilidade", detalhou Guinguer.

Novos cortes

Além do corte dos pediatras, realizado em função do alto valor com pagamento de horas-extras, que estava sendo registrado no Hospital Guido Guida, outros serviços podem ser reduzidos. "Todos os contratos estão sendo revistos e isso inclui o de alimentação, de exames, de limpeza, entre outros. Infelizmente, haverá prejuízo nesses serviços também", explicou o diretor de Saúde.

Pronto Atendimento

Sobre o fechamento total do hospital, que não é descartado pela Prefeitura, Marquinhos da Indaiá afirmou que, caso ele realmente aconteça, a cidade não ficariam sem uma porta de atendimento 24 horas. "Estamos estudando estender o atendimento de alguma UBS, assim a população teria uma opção, mas tudo isso ainda está em estudo", completou.

Sem dados

O secretário de Saúde não soube informar à Imprensa qual valor foi economizado com o fechamento da pediatra no Hospital Municipal Guido Guida e com as demissões realizadas no setor administrativo da unidade. "Isso quem contabiliza é a Secretaria de Finanças e Administração. Tivemos cortes aqui, inclusive com a redução da enfermaria para o setor de pediatria, mas não sei dizer o montante". 

Deixe uma resposta

Comentários