Restrição na Santa Casa de Mogi acende alerta em Suzano

Vítima recebeu atendimento na Santa Casa de Mogi
Vítima recebeu atendimento na Santa Casa de Mogi - FOTO: Mogi News
A restrição de atendimento na Santa Casa de Mogi das Cruzes às gestantes de outras cidades, motivada pela superlotação da UTI Neonatal, fez com que o alerta no setor da Santa Casa de Suzano fosse acesso. De acordo com a Prefeitura de Suzano, no momento, a UTI Neonatal conta com apenas três vagas disponíveis. A situação de lotação no departamento de hospital de Mogi continua. Ontem, a UTI Neonatal estava com 30 bebês, sendo que a capacidade é para 25 recém-nascidos.

A situação de superlotação na UTI Neonatal da Santa Casa de Mogi começou na madrugada de sábado. Desde então, o hospital iniciou a restrição temporária às pacientes de fora do município. A unidade voltará a atender quando a situação for normalizada. A região conta ainda com o Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos Doutor Osiris Florindo Coelho e o Santa Marcelina, que possui maternidade. Em contato com a Secretaria de Estado da Saúde, foi informado que "não houve aumento significativo no atendimento".

Segundo informações da Prefeitura de Suzano, a Santa Casa de Suzano abriga maternidade e o Pronto Atendimento da Mulher (PAM). Por meio de nota, foi informado que "Existem onze vagas na UTI Neonatal e mais onze vagas no setor intermediário (área onde bebês fora de risco, que já deixaram a UTI, se recuperam, ganham peso, recebem medicação, entre outros serviços). O setor intermediário tem dez vagas disponíveis, mas a UTI Neonatal tem apenas três disponíveis no momento, contando com oito bebês internados. Por isso a unidade segue em alerta em relação às gestantes de alto risco".

A Prefeitura de Suzano informou ainda que a maternidade da Santa Casa possui situação normal, sem lotação. "O hospital trabalha com portas abertas à população neste setor".

O setor de urgência da Santa Casa de Mogi abrange a UTI Neonatal, isolamento interno e cuidados intermediários. Ontem, oito bebês estavam na UTI Neontal, dois no isolamento interno, oito nos cuidados intermediários I, nove nos cuidados intermediários II e três nos cuidados intermediários III (berçário externo).

O presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Mogi, Francisco Moacir Bezerra de Melo (PSB), o Chico Bezerra, que também atende na Santa Casa, pediu mais investimentos do governo estadual. "Hoje, temos um atendimento entre 20% a 30% de outras cidades. Suzano começou a investir um pouco mais na Santa Casa. O governo do Estado precisa intervir seriamente no Santa Marcelina. O Estado precisa investir em Mogi para aumentarmos o número de leitos", disse. Ele lembrou da necessidade da instalação de uma Maternidade Municipal.