Procura por vacina de febre amarela continua tranquila

Locais próximos ao Horto Florestal, em São Paulo, necessitam de reforço de doses
Locais próximos ao Horto Florestal, em São Paulo, necessitam de reforço de doses - FOTO: Divulgação
Devido à morte de macacos no Parque Horto Florestal, a Prefeitura de São Paulo, em função da decisão do Ministério da Saúde, determina o reforço da vacinação contra a febre amarela para a população próxima à região de risco. Entre os macacos encontrados no Parque do Horto, um teve a causa da morte confirmada por febre amarela. A Secretaria de Estado da Saúde informou que a região do Alto Tietê não corre riscos, somente até 500 metros do Parque Estadual Alberto Löfgren, também conhecido como Horto Florestal, ao alcance dos mosquitos. Mapeamento e pesquisas estão sendo feitos em mais áreas da capital.

Em Mogi das Cruzes, a vacina é oferecida nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) nos bairros Ponte Grande, Jardim Camila, Jundiapeba, Alto do Ipiranga e Vila Suíssa. No município de Poá, as vacinas estão disponíveis todas as segundas-feiras na unidade CSII, das 8 às 16 horas, e às sextas-feiras na unidade de Calmon Viana, das 8 às 16h30. Os moradores de Ferraz de Vasconcelos podem ser vacinados na Unidade Básica de Saúde Mário Margarida (CSII), no centro.

Algumas clínicas particulares em Mogi das Cruzes também disponibilizam a vacina para crianças e adultos. A procura pela aplicação tem sido um pouco maior e o custo pode chegar a R$ 120.

A vacina é recomendada para pessoas que nunca foram vacinadas e moram em regiões próximas ao parque, ou pretendem viajar para essa e outras áreas nacionais onde há recomendações. É contraindicada para gestantes, mulheres que estão amamentando e crianças menores de seis meses.

A febre amarela é uma doença transmitida através da picada de mosquitos infectados pelo vírus, e é considerada silvestre quando transmitida por insetos presentes nas matas.

*Texto sob supervisão do editor

SINTOMAS:


-febre, calafrios, dor de cabeça, dores no corpo, cansaço, náuseas e vômitos. Em casos de sintomas, o indivíduo deve ir a um posto de saúde e realizar um dos teste, como a Reação em cadeia da polimerase (PCR), que detecta o vírus, ou sorologia, que detecta anti-corpos do paciente.
Prevenção:
A vacina é o método mais eficaz para prevenção, além do uso de repelentes.
Tratamento:
Não existe tratamento para eliminar o vírus, mas é necessário que o paciente fique em UTI até a recuperação.

Deixe uma resposta

Comentários