Hospital Santa Maria vai ter hemodiálise no próximo ano

Diretores da Samed e autoridades acompanharam a inauguração da nova ala
Diretores da Samed e autoridades acompanharam a inauguração da nova ala - FOTO: Vitoria Mikaelli
O Hospital Santa Maria, em Suzano, receberá no primeiro semestre de 2018 o serviço de hemodiálise. O atendimento integrará o pacote de investimentos realizados pela unidade do Grupo Samed. A ideia é que parte da capacidade seja disponibilizada para o Sistema Único de Saúde (SUS), por meio de convênio com o Estado. O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PR), informou que deve apresentar a proposta para o secretário de Estado da Saúde, David Uip, já que o atendimento é de responsabilidade do governo estadual.

A implantação do serviço de hemodiálise será um dos grandes investimentos feito pela Samed no Santa Maria. A expectativa é que ele tenha capacidade para atender cerca de 300 pacientes. Ainda não é possível saber qual será o investimento no serviço. "Estamos planejando a hemodiálise para o primeiro semestre do ano que vem. Primeiro, vamos servir aos pacientes da Samed", afirmou Adalcino Vieira, diretor-presidente do Hospital Santana, localizado em Mogi das Cruzes, que também pertence ao grupo.

Para o gestor executivo do Santa Maria, Ruy Hernandes, é preciso buscar parceria com o governo estadual para viabilizar o convênio. "Teremos que buscar algumas propostas com o Estado, que faz a transferência de recursos", acrescentou.

A situação da hemodiálise na região é crítica, atualmente os Institutos de Nefrologia de Mogi das Cruzes e Suzano passam por uma crise em decorrência do déficit no repasse da tabela Sistema Único de Saúde (SUS). "Queremos somar e contribuir para minimizar a crise que estamos vivendo na área da hemodiálise em Mogi e Suzano. Não são apenas os suzanenses e mogianos que utilizam o serviço, mas toda a região", destacou o prefeito.

Ashiuchi afirmou que entrará em contato com o governo estadual para buscar o convênio com o Santa Maria. "É uma proposta que queremos levar não apenas para Suzano, mas para o David Uip. Para que o governo do Estado possa fazer uma parceria na área de hemodiálise. O Estado pode comprar um serviço, como as cidades fazem. Podem ser geradas 20, 30, 40 vagas, assim conseguimos minimizar o problema na região", avaliou. Ashiuchi disse que discutirá o assunto e outras parcerias com o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat).

Investimentos

Há quatro meses, o Santa Maria realiza o serviço de oncologia, que conta com a parte ambulatorial, de quimioterapia e agora cirurgias. No próximo ano, a Samed vai ampliar o atendimento. "O serviço de oncologia foi um sucesso, mais que esperávamos. Vamos expandir o ambulatório para dar mais conforto aos pacientes. Já separamos uma área e estamos buscando as aprovações com a Vigilância Sanitária e a Prefeitura", ressaltou Vieira. Por mês, são cerca de 150 atendimentos.

Diretores do grupo e autoridades acompanharam ontem a inauguração do bloco cirúrgico do hospital com quatro salas.

BLOCO CIRúRGICO CONTARá COM MAIS CINCO SALAS

Mannie Liu: 'Mais cinco salas'
Mannie Liu: 'Mais cinco salas' - FOTO: Vitoria Mikaelli
O bloco cirúrgico do Hospital Santa Maria, inaugurado ontem, conta com quatro salas que terão capacidade para realizar procedimentos de pequeno, médio e alguns de grande porte. Para o próximo ano, está prevista a instalação de mais cinco salas cirúrgicas que terão um investimento de R$ 5 milhões. A instalação desta primeira etapa do bloco teve um aporte de R$ 3,8 milhões e terá capacidade para realizar 450 procedimentos por mês.

Durante cerimônia de inauguração da ala, o diretor-presidente da Samed, Mannie Liu, afirmou que para o próximo ano está prevista uma série de investimentos na unidade, que foi inaugurada em dezembro de 2015. "Nesta primeira etapa estamos com quatro salas de cirurgia. Elas são totalmente equipadas com os melhores aparelhos de anestesia, equipamentos e ar-condicionado central. No próximo ano, pretendemos fazer um bloco cirúrgico com cinco salas", ressaltou.

Liu acrescentou que o bloco cirúrgico dará a oportunidade de realizar uma série de procedimentos, oferecendo conforto e qualidade aos suzanenses e moradores do Alto Tietê. "Serão cirurgias de videolaparoscopia, intervenções ginecológicas e de ortopedia. Teremos condições de realizar 90% das cirurgias. Com o bloco previsto para 2018, poderemos realizar cirurgia cardíaca, por exemplo", destacou.

A partir de agora, o Santa Maria poderá realizar cirurgias de hérnia, apêndice, varizes, ortopédicas, vesícula, estômago e intestino, além de alguns procedimentos oncológicos. O diretor-presidente salientou que outros investimentos estão previstos, como a instalação de 32 novos leitos. "É muitas coisa que precisa ser feita em 12 meses, mas com certeza entregaremos todas as obras até o fim de 2018", acrescentou.

Uma das novidades para o próximo ano é a hemodinâmica, que terá um investimento de R$ 5 milhões. "Estamos planejando a ala da hemodinâmica também para o primeiro semestre, mas depende muito das autorizações e documentos. Isso demora mais que a própria obra", informou o diretor-presidente do Hospital Santana, Adalcino Vieira.

Com a inauguração do novo bloco, a expectativa é que o Santa Maria gere cem novos empregos. Atualmente, a unidade emprega 200 colaboradores, sem contar os médicos. Agora, o hospital busca a qualificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA) I, certificado de qualidade e excelência no serviço médico. (L.N.)

Deixe uma resposta

Comentários