Guarani orienta os jovens na formação profissional

Socialização é muito construtiva para o grupo, ressalta escola
Socialização é muito construtiva para o grupo, ressalta escola - FOTO: Mogi News
Semear conhecimentos do ponto de vista cognitivo e transmitir aprendizados significativos, experiências enriquecedoras e valores que ajudarão a vivenciar o mundo que está à nossa volta. Estes ideais estão entre os lemas do Colégio Guarani, de Mogi das Cruzes, que, desde as séries iniciais às finais, se preocupa com a formação integral dos seus alunos. O desafio envolve o preparo estudantil, intelectual, social, pessoal, cidadão, e, ainda, o profissional.

Além de preparar para o mercado, os educadores orientam os aprendizes em suas escolhas. Em meio às discussões acerca da proposta de reforma do Ensino Médio, a escola mogiana está se orientando para verificar a viabilidade da implantação.

Levando em consideração um dos itens propostos, que trata de uma melhor articulação de diferentes áreas do conhecimento por meio de itinérários formativos, pode-se dizer, segundo os gestores, que essa interdisciplinaridade já é bem desenvolvida por meio dos diferentes projetos aplicados pelos professores. "Desenvolvemos várias atividades neste sentido, e, que, aliás, ajudam na escolha do aluno quanto à sua carreira profissional, outro ponto de interesse da reforma. Realizamos, por exemplo, a Feira de Profissões e visita a universidades para orientar nessa decisão. Preparamos eventos em conjunto com educadores e alunos e de forma interdisciplinar, como a Feira de Ciências, Biologia e Matemática; o Dia das Nações; o Dia da Família. Nossos educandos, ainda, participam de eventos importantes, como o Simulado da Organização das Nações Unidas (ONU), realizado neste semestre no Colégio da Embraer, em São José dos Campos", elenca a diretora pedagógica Ana Maria Casarini de Oliveira.

Segundo o diretor administrativo do Colégio, Paulo Carlos de Oliveira, essas atividades são importantes para promover a interação na escola e ajudar no aprendizado das turmas. "Essas ações promovem a participação e existe a solidariedade dos alunos. Cada grupo tem a sua responsabilidade, no entanto, todos se ajudam para que o trabalho seja finalizado. Os alunos gostam de atividades diferenciadas, e, inclusive, as que são realizadas fora da escola", ressalta.

Quanto às possíveis mudanças no Ensino Médio, a unidade seguirá um planejamento. "Em primeiro lugar, vamos identificar as áreas de maior interesse dos nossos alunos por meio de uma pesquisa. Com o resultado, definiremos os itinerários formativos que ofereceremos", explica Ana Maria.

Deixe uma resposta

Comentários