Geni Saul apresenta peça em São Paulo

Mogiana está em cartaz até quinta no Teatro Comune
Mogiana está em cartaz até quinta no Teatro Comune - FOTO: Brendo Trolesi
A atriz mogiana Geni Saul, que tem as artes cênicas como sua fonte de inspiração, segue com uma de suas peças em cartaz no Teatro Comune, em São Paulo. O espetáculo "A Palavra Progresso Na Boca De Minha Mãe Soava Terrivelmente Falsa", produzida pelo Companhia Cênica Temporall e dirigida por Reginaldo Nascimento, segue com apresentações até esta quinta-feira, dia 19. A produção retrata o drama inédito do autor romeno Matéi Visniec e é ambientada no período pós-guerra que resultou a desintegração da antiga Iugoslávia. Aborda o conflito, a dor, a memória ferida e a devastação que assolou a Europa. As apresentações ocorrem às quartas e quintas-feiras às 21 horas. Os ingressos custam R$ 40. O teatro fica localizado na rua Consolação, 1.218, em São Paulo.

O teatro sempre fez parte da mogiana, que se dedica a esse talento há quase 20 anos. O convite para integrar a Companhia Cênica Temporall, inclusive, veio de amigos que conheceu ao longo de sua trajetória. Ela está nesse grupo desde a fundação, ou seja, 2016. Atualmente, além de sua atuação na trupe paulista e da participação em algumas produções, ela é contadora de histórias. Geni é formada em Artes Cênicas pela Escola Macunaíma, e, durante alguns anos, agregou as suas atividades artísticas à sua atuação profissional no Tribunal de Justiça.

Ao se aposentar, passou a se dedicar integralmente ao teatro, que, segundo a artista, é uma forma de assumir diversas representações e, com isso, ter a possibilidade de conhecer mundos tão diferentes. "A cada peça, eu conheço uma nova cultura, um novo universo. A experiência com esse espetáculo, por exemplo, me fez mergulhar no período de guerra, enfrentado por tantas nações. Cada estudo me remete a um aprofundamento histórico e cultural, neste caso, por exemplo, me fez lembrar das histórias do meu pai, que foi combatente e compartilhava o que vivenciou", relembra a atriz.

Ao todo, a mogiana já contracenou em, aproximadamente, dez espetáculos, dentre eles "O Lobo da Estepe", "Pouco Amor não é Amor" e "Vestido de Noiva". Para ela, cada roteiro é uma forma de se aproximar de uma experiência de vida. "O teatro quebra preconceitos e qualquer drama traz uma história semelhante e uma experiência. É uma arte que nos ensina a entender a vida e a compreender melhor as situações, as pessoas e os desafios que estão à nossa volta", finaliza.

Deixe uma resposta

Comentários