Municípios analisam medidas de segurança para as escolas

Episódio na Escola Estadual Raul Brasil ligou o alerta para a questão da segurança
Episódio na Escola Estadual Raul Brasil ligou o alerta para a questão da segurança - FOTO: Felipe Claro
O massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na semana retrasada, abriu várias questões sobre segurança nas escolas. Por este motivo, as adminstrações municipais da região estão tomando diversas precauções com a entrada dos alunos e com o diálogo dentro das escolas para, assim, deixar seus alunos mais seguros. As prefeituras da região foram contatadas para saber o que realmente será feito dentro e fora das unidades.

Desde 2011, Mogi das Cruzes já está desenvolvendo projetos para melhorar a segurança da cidade. De acordo com a secretária de Educação, Juliana Guedes, "as medidas começaram logo após os ocorridos em Realengo, no Rio de Janeiro. Então, desde lá nós investimos em deixar pessoas preparadas nas portas das escolas, câmeras e outras medidas. Estamos com uma parceria com a guarda municipal de, até o final de abril, lançarmos um projeto de relacionamento interno, conversando com os alunos sobre bullying e problemas psicológicos."

A prefeitura de Poá, junto com técnicos da Secretaria de Segurança Urbana da cidade, está visitando as escolas municipais para a elaboração de um estudo sobre a segurança de cada uma. A prefeitura afirmou que na próxima semana funcionários das escolas receberão um treinamento com medidas de segurança que serão reforçadas e implementadas.

A Guarda Municipal e a Secretaria de Educação de Arujá estão em contato e dialogando com a direção das escolas que contêm o botão do pânico para conversar sobre algumas medidas de segurança. Além disso, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da cidade vai realizar uma reunião voltada à orientação sobre bullying nas escolas.

Em Ferraz de Vasconcelos, a Secretaria de Educação solicitou que os portões das escolas fossem mantidos fechados, só fazendo o atendimento por meio dos guichês das unidades. A prefeitura também está orientando funcionários que trabalham na entrada e saída das escolas. Para longo prazo, a prefeitura está analisando outras medidas preventivas de segurança e já está orientando professores e coordenadores em relação ao comportamento dos alunos.

Por sua vez, Itaquá está adotando como medidas a ampliação das rondas com a Guarda Civil Municipal no entorno das escolas municipais, a promoção de palestras com alunos e pais, além de orientar diretores e supervisores sobre ações de segurança dentro das unidades.

Em Suzano, o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR) destacou que as unidades de ensino da rede municipal irão sofrer mudanças na segurança, como a instalação de câmeras nas escolas com integração direta ao Centro de Segurança Integrada (CSI). Também está sendo planejado a instalação de botões de pânico nos estabelecimentos, que, ao serem acionados, enviarão um chamado à viatura da GCM mais próxima da escola. Na semana passada, o secretário de Estado de Educação, Rossieli Soares Silva, também reforçou a ideia de que serão debatidas atividades voltadas ao psicoemocional dos alunos por todo o Estado de São Paulo.

* Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários