Suzano e Mogi estão entre os 40 melhores no saneamento básico

Atendido pelo Serviço Municipal de Águas e Esgotos, Mogi teve bom desempenho no abastecimento de água
Atendido pelo Serviço Municipal de Águas e Esgotos, Mogi teve bom desempenho no abastecimento de água - FOTO: Julio Nogueira/Semae
As cidades de Suzano e Mogi das Cruzes estão entre os 40 municípios de grande porte do país em compromisso com a universalização do saneamento básico. Um estudo divulgado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), que leva em conta o abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos e destinação adequada de resíduos sólidos com referência em dados divulgados pelos municípios em 2018, revelou que Suzano está na 34ª posição, com 457,53 pontos e Mogi na 37ª, com 455,84 pontos.

Além das duas cidades, Poá, como já divulgado ontem pelo Grupo Mogi News de Comunicação, está em 4º lugar do país, com 499,98 pontos, entre os municípios de grande porte rumo à universalização do saneamento básico.

Nos quesitos de abastecimento de água, coleta de resíduos sólidos e destinação adequada de resíduos sólidos, Suzano alcançou 100 pontos. No entanto, na coleta de esgoto foram 90 e no tratamento de esgoto 67,53. Já Mogi, que teve 100 pontos apenas na destinação adequada de resíduos sólidos, apresentou 90,30 no abastecimento de água; 85,79 na coleta de esgoto; 87,61 no tratamento do esgoto e 92,14 na coleta de resíduos sólidos. Ambos os municípios estão à frente de cidades como Campo dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, Santo André, no ABC Paulista, e Contagem, em Minas Gerais. No entanto, Suzano está à frente de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Com 100 pontos no abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação de resíduos sólidos, Poá desponta entre as dez cidades do Alto Tietê, sendo considerado o 4º município do Brasil com o melhor saneamento básico. Em contraponto, cidades como Ferraz de Vasconcelos e Itaquaquecetuba ainda estão no grupo de empenho rumo à universalização do saneamento dos municípios de grande porte.

Para se ter uma ideia, Ferraz está na 38ª posição de um total de 115 cidades e alcançou 100 pontos apenas na destinação adequada de resíduos sólidos. No abastecimento de água, foram 97,06; na coleta e tratamento de esgoto, respectivamente, 81,50 e 46,55. Na coleta de resíduos sólidos, a cidade pontuou 88,33, totalizando 413,44 pontos. Já Itaquá, na 75ª posição, somando 369,78 pontos, apresentou 98,70 no abastecimento de água; 66,89 na coleta de esgoto; 9,19 no tratamento de esgoto e 95 na coleta de resíduos sólidos. Apenas na destinação adequada dos resíduos alcançou os 100 pontos.

REGIãO MOSTRA EMPENHO

O estudo divulgado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), que avalia o abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos e destinação adequada de resíduos sólidos do ano de 2018, revelou que as cidades de Arujá, Guararema, Salesópolis e Santa Isabel estão entre os municípios de pequeno e médio porte com empenho na universalização do saneamento básico.

Arujá pontuou 420,30 e desponta entre as demais cidades do grupo do Alto Tietê. Para se ter uma ideia, Salesópolis pontuou 394,40; Guararema, 383,14 e Santa Isabel, 308,68. Biritiba Mirim não aparece na lista. Segundo a Abes, as informações são apenas das cidades que forneceram dados ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento.

Em relação ao abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e coleta e destinação de resíduos sólidos, Arujá marcou 100 pontos no abastecimento e na destinação de resíduos, já na coleta de esgoto pontuou 66,96; no tratamento, 57,33 e na coleta de resíduos, 96,01. Salesópolis alcançou 100 pontos apenas na destinação de resíduos, nas demais categorias, chama atenção para a coleta de esgoto, com 51,76 e o tratamento, 81,16.

No mesmo sentido, Guararema pontuou na coleta apenas 41,83, já no tratamento, foi 70,56. Já Santa Isabel, não obteve pontos no quesito tratamento de esgoto, sendo que na coleta chegou a alcançar 47,75. De acordo com o estudo, a cidade marcou em abastecimento de água 63,59; em coleta de esgoto, 47,75, e em coleta de resíduos sólidos, 97,34. (L.P.)

Deixe uma resposta

Comentários