PhotoTruck integra a fotografia a atividades interdisciplinares

Pablo:
Pablo: "Quero fotografar novos lugares" - FOTO: Felipe Claro
O projeto PhotoTruck, idealizado por meio de uma parceria entre a diretoria regional de ensino com uma empresa de fotografia, fez um convite às escolas estaduais Adelaide de Amaral e a Dr. Sentaro Takaoka para apresentar uma proposta pedagógica que une essa manifestação artística ao conteúdo escolar, a fim de incrementar as atividades interdisciplinares no espaço educativo. O objetivo é auxiliar no enriquecimento cognitivo, cultural e artístico dos alunos. A equipe de reportagem fez uma visita à escola Adelaide de Amaral para conhecer a iniciativa.

Segundo o professor coordenador-geral da escola, Luiz Neto, de 60 anos, a fotografia abrange questões de linguagem, interpretação e leitura. "Nós somos uma escola de período integral e estamos inseridos no projeto da Secretaria de Educação chamado 'Disciplina Eletiva'. Ela tem o intuito de aprimorar o repertório e a aprendizagem dos alunos, e o Photo Truck é uma atividade incluída nesta matéria", explicou. 

A ação consiste em uma van, que fica ao lado de fora da escola, e funciona como uma máquina de fotografia. Lá os alunos recebem orientações sobre todos os parâmetros da fotografia, como o enquadramento, a iluminação e outras técnicas importantes. Considerando que as imagens já se tornaram uma linguagem universal de comunicação, durante a participação dos alunos, algumas discussões sobre as diferentes visões humanas também são propostas.

Uma das atividades que mais chamou a atenção dos pequenos foi a adaptação de uma câmera escura. Em resumo, os alunos entravam na van, as luzes eram apagadas e eles enxergavam a rua por meio de um pequeno buraco no veículo. A iluminação produzia a imagem invertida do lado de fora, e encantou os alunos do 6º ano.

O estudante Pablo Rosa, 11, contou que aprendeu muito com as explicações do grupo que ministrou o projeto e vai usar todas as orientações quando estiver mais velho. "Está nos ajudando bastante. Eu quero viajar muito para fotografar novos lugares, novas ideias", contou.

Isaque Bertolino, 11, também está no 6º ano e contou que antes das atividades ele já sabia de algumas técnicas fotográficas, mas a grande novidade foi a câmera escura. "O que eu mais gostei foi de ver a rua de cabeça para baixo. Quando entrei no 'caminhão', consegui ver tudo lá de fora dessa forma. Eu espero que eles venham mais vezes à escola, porque a aula foi muito produtiva", compartilhou.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários