Briga em porta de escola deixa aluno com ferimento na cabeça

Agressor, de apenas 16 anos, teria usado canivete para desferir alguns golpes do estudante, que foi medicado
Agressor, de apenas 16 anos, teria usado canivete para desferir alguns golpes do estudante, que foi medicado - FOTO: Fotos: Felipe Claro
Uma briga entre dois jovens próximo à Escola Estadual Batista Renzi, na região central de Suzano, terminou com um dos envolvidos com um corte na cabeça. Leonardo Lemos Alves Dal Belo, de19 anos, que estuda no terceiro ano do Ensino Médio da escola, foi para a Santa Casa com um ferimento na parte posterior da cabeça, que segundo ele, teria sido feito pelo outro jovem, 16, usando um canivete. Ele foi atendido e liberado. O motivo da discussão seria por ciúmes do menor de idade, pois sua namorada estuda na sala de Dal Belo. 

De acordo com o rapaz, ferido durante o intervalo, uma amiga dele havida dito que o adolescente estaria na porta da escola para conversar com ele, para tomar satisfações sobre um possível xingamento que Dal Belo e seus amigos teriam feito à namorada. Quando o jovem saiu da escola, ele atravessou a rua e ficou esperando um colega, neste momento, o menor de idade já chegou com a faca em punho e desferindo golpes contra ele.

O jovem que sofreu o ataque conseguiu revidar as agressões do menor e desarmá-lo. Para ele, o motivo das agressões tem relação com a garota. "Acho que ele estava com ciúmes só porque estudamos na mesma sala da namorada dele. Mas eu namoro, não tenho nenhum contato com essa menina, nunca conversei com ela", alegou o jovem que tomou três pontos na cabeça.

Um amigo da vítima confirmou a versão de Dal Belo e acrescentou que tentou ajudá-lo, avisando que o menor estaria com uma faca na mão. Já o adolescente, que foi encaminhado à Delegacia Central de Suzano, disse que a história é outra. Ele alegou que foi apenas para conversar com a vítima, para tentar esclarecer alguns boatos. "Eu ouvi falar que ele xingou minha namorada e que ele também tinha me ofendido". O envolvido, que estava com a camisa rasgada e várias escoriações pelo corpo, ainda destacou que não foi até a escola onde o crime aconteceu para brigar nem esfaquear o outro jovem. "O canivete eu deixo na bolsa porque eu uso para o trabalho. Na verdade, ele que veio com mais uns dez amigos para me bater, e durante a briga eu peguei o canivete", acrescentou o menor de idade que estuda em uma escola vizinha à Escola Estadual Batista Renzi.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Educação ressaltou que a briga não foi dentro da unidade e que ainda não sabe se haverá alguma punição.

*Texto supervisionado pelo editor.

PAIS CORRERAM PARA A PORTA DA ESCOLA

Jovem é esfaqueado na porta da escola em Suzano
Jovem é esfaqueado na porta da escola em Suzano - FOTO: Felipe Claro
No final da tarde de ontem, o clima em frente a Escola Estadual Batista Renzi era de apreensão por parte dos pais de alunos que começavam a se aglomerar na saída da unidade de ensino localizada na região central de Suzano. Isso porque, nas redes sociais, alguns veículos de comunicação informaram que um outro possível ataque aos alunos da unidade poderia estar ocorrendo. "Esse clima tenso é natural, estamos todos assustados", confirmou Agnaldo Ferreira de Oliveira, 53, pai de uma aluna de 12 da escola. Ele junto com outros pais estavam na porta da instituição para colher informações sobre o caso e saber se havia alguma relação com o atentado da Escola Estadual Professor Raul Brasil, ocorrido no dia 13 desse mês.

Entretanto, após informações dos próprios envolvidos, já na Delegacia Central, ficou claro que tudo não passou de uma briga. Após essa confirmação, a normalidade voltou ao entorno da escola. (F.A.)

Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários