Necessidade de amigos

O primeiro passo para se chegar a qualquer lugar é decidir se vai permanecer onde se está ou não. Toda iniciativa equivale a uma mediação: sair ou não sair! Amizades acontecem como frutos do acaso e das circunstâncias. Amizade é produto declarado do sentimento, nunca da razão.

Assim, discordo dos que afirmam: - "Nada acontece por acaso". Pelo contrário: pouco, pouquíssimo do que nos ocorre no dia a dia é planejado.

Os verdadeiros Maçons muito apreciam e valorizam os amigos. Em nosso Benfeitora Loja ao se estabelecer toda semana o e-mail para lembrar da ocorrência do aniversário de um de seus colaboradores, abrir-se-ia espaço primordial para receber e ofertar afetos. Uma necessidade tão premente como a de dormir, de se alimentar e respirar. Amigos, entre nós os temos em quantidade, e sem que se tivesse de mover um só dedo para conquistá-los. Amizades que unicamente aconteceram, sem previsão, planejamento.

Têm-se dívidas imensas de gratidão para com pessoas que não faz muito tempo, nem sabíamos que existiam. Talentosos e virtuosos irmãos que são, sua valorosa amizade doutrina enxergar o mundo sob o olhar do Outro. A tentar dominar nosso instinto egoísta e colocá-lo sob o diapasão de uma frequência, digamos, normal! Quando não, sem destoar do grupo, do coletivo. São inúmeras as lições que se aprende com eles: nenhuma delas ter-se-ia a menor chance de aprender sozinho.

E como é bom sentir-se reconhecido pelo olhar daqueles que nos encaram, com um enigmático sorriso, que só os preteridos para a encontro sentem. Sempre é bom sorrir com os olhos, não sabiam? Todo dia é fruto de programação, planejamento, fatos são caprichosos, imponderáveis. É raro estarmos preparados para dar conta deles.

Daí ser forçado a reagir, amiúde, na base da mais pura intuição. Nosso lado divino tão carente de
crescimento!