Policiais ficam sem vacina em UBS de Poá

Policiais militares de Poá enfrentaram dificuldades para receber a vacina contra a gripe na manhã de ontem. De acordo com as denúncias recebidas pela reportagem, os funcionários da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim América se negaram a imunizar as autoridades.

Na quarta-feira passada, o governador João Doria (PSDB) antecipou para ontem as vacinas contra a gripe para os policiais e agentes penitenciários de todo o Estado de São Paulo. Nas decisões anteriores, a imunização destinada à categoria seria aplicada apenas a partir de 16 de abril. Os idosos e profissionais da saúde foram os grupos prioritários no início da campanha, na semana anterior.

Portanto, desde ontem, os agentes da segurança pública podem receber as vacinas que previnem contra os vírus H1N1 e influenza, o que não aconteceu para alguns policiais de Poá. De acordo com uma policial que preferiu não se identificar, os profissionais da Vigilância Epidemiológica de Saúde da UBS do Jardim América não liberaram a vacina para ela e ao esposo, que também é PM.

"Quando chegamos na UBS, também havia outro policial que estava tentando receber a vacina e não conseguiu. Um dos atendentes nos disse que não havia recebido ordens para liberar a vacina aos policiais e mesmo a gente explicando a mudança decretada pelo governador, saímos de lá sem nada", explicou a policial.

A entrevistada afirmou ainda que deixou o número do telefone para que fosse informado a ela quando as vacinas fossem liberadas, mas não obteve nenhum retorno até o final da tarde de ontem. Em nota, a Prefeitura de Poá disse que a Vigilância da Saúde estava aguardando a oficialização por parte do Estado em incluir a nova categoria no grupo de vacinações.

*Texto supervisionado pelo editor.

 

Deixe uma resposta

Comentários