De vila a importante cidade da Região Metropolitana

O vilarejo que se tornou bairro. O bairro que evoluiu para distrito que, pelo iminente crescimento, se desvincilhou da cidade de origem, Mogi das Cruzes, e foi elevado a município. Assim, em poucas palavras, pode ser contata a história de Suzano, uma das principais cidades da Região Metropolitana de São Paulo.

Mas não seria justo contar tal história em apenas algumas linhas. Certo mesmo é dar o devido cuidado que o município de 297.637 habitantes merece. A história de Suzano se inicia a partir da chegada da linha férrea. Isso, entretanto, não significa que exploradores e aventureiros não passaram pela região muito antes da vinda do "progresso" por meio da ferrovia. Incursões à caça e à busca por ouro já ocorriam com a vinda de pessoas do litoral, da então Vila de São Vicente (fundada em 1532).

Na região conhecida na época como Caagaçu, na divisa entre Suzano e Ribeirão Pires, foram descobertos veios de ouro nas últimas décadas do século XVII. Era ouro de aluvião, encontrado no leito e nos vales dos rios.

A ligação ferroviária entre Rio de Janeiro e São Paulo, pela Companhia Ferrocarril, provocou uma alteração radical e definitiva no centro populacional da comunidade que já se instalava na região.

Próximo a uma das novas estações construídas para o embarque de lenha, o jovem português Antonio Marques Figueira, que trabalhava para a estrada de ferro, construiu sua casa, a primeira do local. Pensando na necessidade de haver uma ocupação regular da cidade, Marques Figueira juntou-se a outros proprietários da região, com o objetivo de fundar uma cidade planejada e com uma estação de trem de passageiros. Suzano começou a ganhar contornos.

Os líderes locais foram, então, solicitar ao engenheiro da Estrada de Ferro Central do Brasil, residente em Mogi das Cruzes, que construísse uma estação de alvenaria. O engenheiro Joaquim Augusto Suzano Brandão providenciou os estudos e autorizou a construção. Em homenagem ao engenheiro, a estação recebeu o nome de Suzano.

O tempo passou e, a partir dos anos 1920, com a chegada das primeiras fábricas, Suzano começou a crescer rapidamente. Instalaram-se no distrito a Vinícola Sóvis e a Sedas Maluf.

Independência

Embora a arrecadação do distrito fosse alta - chegou a ser a maior entre os distritos de Mogi no final da década de 1940 -, ela não se refletia em benefícios para Suzano, que tinha muitos problemas de infraestrutura. Depois de um trabalhoso processo de alistamento, foi realizado um plebiscito no dia 10 de outubro de 1948, uma das exigências para que o distrito requisitasse sua autonomia. A maioria foi favorável. Em 24 de dezembro do mesmo ano foi promulgada a Lei Estadual nº 233, assinada pelo então governador Adhemar de Barros, aprovando a instalação de Suzano como município autônomo a partir de 1º de janeiro de 1949.