Mogi terá 10 mil testes rápidos para coronavírus

Mogi das Cruzes pode ter em breve 10 mil testes para o novo coronavírus (Covid-19) disponíveis à população. Isso porque o prefeito Marcus Melo (PSDB), em entrevista à imprensa na tarde de ontem, afirmou que a prefeitura está comprando o equipamento e que cerca de R$ 1,5 milhão deve ser gasto apenas com nesta primeira remessa de itens.

Nos últimos dias, estados e municípios conseguiram ter acesso aos testes, fato que não ocorreu nas primeiras semanas da pandemia do coronavírus no Brasil. O Estado de Goiás, por exemplo, comprou na última sexta-feira 300 mil dispositivos do tipo, enquanto no Ceará 10 mil foram adquiridos.

Para auxiliar os municípios paulistas nos gastos com a Covid-19, ontem começaram a ser liberadas as transferências de repasses emergenciais anunciados pelo governo do Estado. Mogi das Cruzes terá à sua disposição R$ 4,4 milhões, sendo que parte deste recurso já está destinada à construção do hospital de campanha, que se inicia amanhã, na Avenida Cívica, no Mogilar (leia mais na página 3).

Sobre as obras para a estrutura provisória, o prefeito Melo informou que o montante necessário seria definido na tarde de ontem. "Estamos fechando hoje (ontem) o valor do hospital de campanha. Temos uma reunião agora à tarde para que a gente veja o quanto será necessário", relatou.

Para diminuir a circulação do vírus na cidade, a quarentena - que completou uma semana de vigência ontem - voltou a ser defendida pelo chefe do Executivo. Mesmo com os protestos que marcaram a última sexta-feira e a manhã de ontem (leia mais na página 3), Melo subiu o tom contra a tentativa de politizar as manifestações a favor do retorno do comércio municipal. "Tem gente em Mogi que está fazendo bagunça. Esse povo só joga pedras, só conversa. Quem administra grupo de Whatssap acha que está administrando uma cidade. Tenha paciência, pelo amor de Deus", lamentou Melo.

Gás de cozinha

O prefeito ainda prometeu atuação da administração municipal caso a situação da distribuição do gás de cozinha não seja normalizada nos próximos dias.