Vereador cobra estratégia para socorrer academias de Ferraz

Eliel Fox sugeriu que o poder Executivo crie uma solução para impedir que estabelecimentos venham à falência
Eliel Fox sugeriu que o poder Executivo crie uma solução para impedir que estabelecimentos venham à falência - FOTO: Divulgação/Câmara
A economia brasileira e mundial está sendo afetada como um todo por causa da pandemia do coronavírus (Covid-19). Por isso, os governos de todos os níveis de poder adotam medidas compensatórias para, no mínimo, reduzir os impactos negativos da doença no setor econômico em geral. No caso municipal, os gestores têm acompanhado quase que forma total os decretos de quarentena assinados por governadores.

Em Ferraz de Vasconcelos, a situação não é diferente. O chefe do poder Executivo segue a risca o que determina o Palácio dos Bandeirantes, porém, as suas ações adotadas até agora limitam-se a barreiras sanitárias em feiras livres, a doação de cestas básicas a alunos da rede municipal e ao adiamento do pagamento de impostos e taxas, no entanto, somente essas medidas não bastam para estancar os efeitos econômicos da pandemia da Covid-19.

Por isso, o vereador Eliel de Souza (PL), o Eliel Fox decidiu cobrar uma ajuda objetiva para salvar da falência, por exemplo, as academias de ginásticas e de danças na cidade. Segundo ele, o fechamento temporário de comércios, indústrias e prestadores de serviço como são os casos das academias vai seguramente levar a falência de algumas delas. Em sua opinião, além de provocar a ruína de pequenos empresários desse setor, a crise atinge, principalmente, a manutenção de empregos.

Neste caso, o vereador tem procurado conversar com a secretária municipal da Fazenda, Silvana Francinete da Silva para, com isso, estudar alguma medida compensatória para socorrer o ramo das academias. De acordo com ele, a saída ideal seria a o governo municipal abrir uma linha de crédito para aliviar o caixa desses prestadores de serviços. Além disso, o governo municipal também poderia pensar na isenção de impostos como o de serviços da qualquer natureza (ISS).

Criatividade

Em contrapartida, as academias poderiam absorver a mão de obra de oficineiros dispensados pela Secretaria Municipal da Cultura. Em todo caso, enquanto nada é feito para ajudar o setor, os professores procuram ministrar vídeo-aulas pela internet, porém, trata-se apenas de um paliativo. "Em Mogi das Cruzes, o pessoal conseguiu alugar os equipamentos e, portanto, diminuir as perdas, mas aqui em Ferraz precisamos de um plano de ação", diz Eliel Fox. Ele estima que existem na cidade em torno de 40 academias.

Deixe uma resposta

Comentários