País tem 299 mortos e 7.910 infectados

O Brasil registrou ontem, em plataforma do Ministério da Saúde, 7.910 casos confirmados da Covid-19. Foram 1.074 novas confirmações nas últimas 24 horas. As mortes pela doença subiram de 241 para 299. A taxa de mortalidade também aumentou para 3,8%.

O Estado de São Paulo segue sendo o mais afetado pela doença, com 3.506 casos confirmados e 188 óbitos. Em seguida, vêm Rio de Janeiro (992 casos, 41 óbitos), Ceará (550 casos, 20 óbitos), Minas Gerais e Distrito Federal (cada um com 370 casos e 4 óbitos).

A região Sudeste é a que concentra o maior número de casos: 4 988, o equivalente a 63% do total. Já a Norte, menos afetada, tem 377 casos confirmados da doença, o equivalente a 5% do total.

Sistema de Saúde

Embora o pico da pandemia ainda não tenha sido alcançado no Brasil, os sistemas de saúde público e privado já enfrentam sobrecarga por causa do aumento do número de internações e registram até 38% de seus leitos ocupados por pacientes com infecção suspeita ou confirmada.

Segundo levantamento de dados e relatos de profissionais e pacientes de 12 hospitais da rede pública e particular do país, entre eles os Hospitais Albert Einstein, o Sírio Libanês, hospitais da rede Sancta Maggiore, a Santa Casa de São Paulo e o Hospital São Paulo, o número crescente de internações por problemas respiratórios nas unidades já leva UTIs ao limite, pacientes esperam mais de 24 horas por leitos e hospitais veem sua capacidade ser tomada cada vez mais por pacientes com sintomas da Covid-19.

Para retardar o avanço da doença e conter a sobrecarga do sistema, o Ministério da Saúde recomenda isolamento social. Conforme divulgado ontem, a Pasta está sem estoques de equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas, para distribuir a profissionais de saúde, e aguarda resultado de negociação com fornecedores do exterior.

Deixe uma resposta

Comentários