Japão declara emergência e aprova pacote econômico

Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, declarou emergência por 30 dias
Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, declarou emergência por 30 dias - FOTO: Franck Robichon/Agência Lusa
O gabinete do Japão aprovou ontem um pacote econômico de 108 trilhões de ienes
(US$ 988,83 bilhões) para lidar com os efeitos adversos da pandemia de coronavírus. Como se esperava, o governo japonês também declarou estado de emergência por um mês em função da Covid-19, como é conhecida a doença causada pelo vírus.

O pacote inclui gastos fiscais de 39,5 trilhões de ienes e repasses de 300 mil ienes a famílias que tenham sofrido forte perda de renda por causa do coronavírus.

Além disso, o governo japonês pretende oferecer até 2 milhões de ienes a pequenas empresas afetadas pela pandemia e aliviar parte dos impostos pagos por firmas dessa categoria.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, também declarou estado de emergência por um mês em Tóquio e seis outras áreas, numa tentativa de conter a disseminação do vírus, como já havia sinalizado anteontem.

Segundo Abe, não haverá bloqueios de estilo europeu neste período, mas os governantes das áreas designadas poderão fazer mais para reforçar apelos de distanciamento social. Eventuais violações, porém, não deverão ser punidas.

Apenas a região metropolitana de Tóquio, que conta com uma população de 14 milhões de pessoas, tinha 1.116 casos confirmados de coronavírus na segunda-feira. Em todo o Japão, há 3.906 casos confirmados, além de outros 712 de um navio de cruzeiro que ficou em quarentena por duas semanas no porto de Yokohama, e foram registradas 91 mortes.

China e Coreia

A China relatou ontem que não registrou novas mortes por coronavírus nas últimas 24 horas e identificou apenas 32 novos casos, todos de pessoas que haviam retornado de outros países.

Outros 12 casos suspeitos - todos importados - estão sob observação, junto com outros 30 casos de infectados assintomáticos.

A China, onde a pandemia teve início, agora tem 1.242 casos confirmados em tratamento e 1.033 casos sem sintomas em isolamento e sob monitoração. Desde o início do surto, a China acumula 81.740 casos e 3.331 mortes pela Covid-19.

Na Coreia do Sul, foram relatados ontem 47 novos casos e mais seis mortes, que elevam os totais acumulados para 10.331 infecções e 192 óbitos.

Deixe uma resposta

Comentários