País tem recorde com 114 mortes em 24h

Serão três remessas em fevereiro, em um total de 15 milhões de doses
Serão três remessas em fevereiro, em um total de 15 milhões de doses - FOTO: Divulgação/Fiocruz
Com 114 mortes registradas ontem, o Brasil chegou a 667 óbitos em razão da pandemia do coronavírus, segundo atualização do Ministério da Saúde divulgada no início da noite. O número representa um aumento de 20% em relação a anteontem, quando foram registrados 553 óbitos. São Paulo segue como epicentro da pandemia, com 371 mortes, mais da metade dos óbitos de todo o país. O Estado é seguido por Rio de Janeiro, com 89; Pernambuco, com 34; Ceará, com 31, e Amazonas com 23 mortes.

Também já foram registradas mortes no Paraná (15), Distrito Federal (12), Bahia (12), Santa Catarina (11), Minas Gerais (11), Rio Grande do Norte (oito), Rio Grande do Sul (oito), Espírito Santo (seis), Goiás (cinco), Pará (cinco), Paraíba (quatro), Sergipe (quatro), Piauí (quatro), Maranhão (quatro), Alagoas (duas), Mato Grosso do Sul (duas), Amapá (duas), Rondônia (uma), Roraima (uma), Acre (uma) e Mato Grosso (uma).

O número de casos da Covid-19 no país chegou a 13.717, o que marca um crescimento de 13,7% em relação a segunda-feira, quando o balanço do Ministério da Saúde marcou 12.056 casos. A taxa de letalidade do país subiu de 4,4% para 4,9%.

Perfil

Em relação ao perfil das pessoas que morreram, 58,1% eram homens e 41,9% eram mulheres. No recorte por idade, 78% tinham mais de 60 anos. Na semana passada, esse percentual era de 90%. Em relação aos fatores, de risco, 289 tinham alguma cardiopatia, 202 possuíam diabetes, 70 apresentavam alguma pneumopatia e 48 experimentavam alguma condição neurológica. As hospitalizações com Covid-19 chegaram a 2.931.

No balanço divulgado ontem, foram 1.661 novos casos no país, um recorde desde o início do registro. Na atualização, foram 926 novos casos.

Deixe uma resposta

Comentários