Planalto vê provocação de Mandetta em entrevista

As últimas atitudes do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, elevaram a temperatura do confronto com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e podem acelerar sua saída da equipe, vista até por seus aliados como uma questão de tempo. O estopim da nova crise foi a entrevista dada por Mandetta ao programa Fantástico, da Rede Globo, no domingo. O tom adotado pelo ministro foi considerado por militares do governo e até por secretários da Saúde como uma "provocação" ao presidente.

Na ocasião, Mandetta afirmou que o governo carece de um discurso unificado sobre o enfrentamento à pandemia e dirigiu cobranças a Bolsonaro, que tem ignorado recomendações de isolamento social e defendido o retorno ao trabalho.

"O brasileiro não sabe se escuta o ministro da Saúde, o presidente, quem é que ele escuta", disse Mandetta, um dia depois de Bolsonaro ter visitado, ao seu lado, um hospital de campanha em construção em Águas Lindas (GO). No sábado, o presidente foi ao encontro de eleitores, que se aglomeraram para cumprimentá-lo. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários