OMS pede cautela para liberar isolamento social

Ghebreyesus alerta para
situação de países pobres
Ghebreyesus alerta para situação de países pobres - FOTO: Divulgação/OMS
Durante vídeoconferência com os ministros da Saúde do G-20, grupo das 20 maiores economias do planeta, realizada no domingo passado, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu cautela aos países-membros nas decisões de relaxar as medidas de quarentena e isolamento social e pleiteou ajuda para países mais pobres, onde a doença começou a se espalhar.

"É encorajador que vários países agora estejam planejando como diminuir as restrições sociais, mas é crítico que tais medidas sejam tomadas de maneira escalonada", disse Tedros. "Relaxar a quarentena não é o fim da epidemia no país, é só o começo da próxima fase. É vital que os países eduquem, engagem e empoderem sua população para prevenir e responder rapidamente a qualquer ressurgência do vírus", afirmou.

O mandatário da OMS reiterou que é importante que países só comecem a retomar a normalidade quando estiverem certos que seus sistemas de saúde têm capacidade de "detectar, testar, isolar e cuidar de cada caso, além de traçar todo contato que o paciente teve".

Para Tedros, o próximo passo é garantir a ajuda dos países mais ricos do mundo para regiões como a África, onde o desafio é superar a "falta crítica de equipamentos e entregá-los de forma organizada por conta da sua infraestrutura frágil".

O ministro de Saúde da Arábia Saudita, Tawfiq Al Rabiah, disse que o encontro foi para os mandatários colaborarem "em prioridades comuns da saúde". "Nós também compartilhamos as melhores práticas dos membros do G20 e suas soluções inovadoras e efetivas para combater a pandemia", completou.

O ministro da Saúde do Brasil, Nelson Teich, empossado no cargo na sexta-feira passada, participou da reunião. Foi uma das primeiras agendas oficiais de Teich.

Deixe uma resposta

Comentários