Aglomerações e cultos continuam na quarentena

Idosos insistem em circular pelo centro da cidade
Idosos insistem em circular pelo centro da cidade - FOTO: Mariana Acioli
Mesmo com a recomendação de especialistas em saúde pública para manter o isolamento social, endossada pelo decreto do governo do Estado de fechamento do comércio, não é difícil encontrar cultos sendo realizados em residências e encontro de jovens nos bairros.

É o caso da rua Koheiji Adashi, no Jardim Camila, onde moradores procuraram a reportagem para denunciar a situação. Em uma residência da via há a aglomeração diária de pessoas que se reúnem por motivos religiosos, visto que a igreja da rua está fechada - ainda não há a confirmação se é de fato o mesmo público que frequente o espaço agora interditado. Pouco mais à frente, na mesma via, outro problema atrapalha os moradores: o encontro de jovens que ficam no local até a madrugada, com música alta e ingerindo bebidas alcoólicas.

"Ontem foi culto nessa casa, com microfone e amplificador, das 16 horas até o começo da noite. Ali na frente, os jovens motoqueiros com música bem alta, às vezes até 2 ou 3 horas da madrugada. Situação muito difícil", disse uma moradora da rua. Ela afirma que tentou por mais de 20 vezes ligar para o 153 da prefeitura para denunciar. No entanto, os encontros ainda ocorrem na via. "Não reclamo porque sou chata, estou em home office e não consigo fazer nada", lamentou a denunciante.

A situação do desrespeito às recomendações dos especialistas em saúde também ocorre por idosos no centro da cidade. Numa rápida volta pela região central do município fica evidente que muitas pessoas continuam nas ruas e mantendo a rotina que possuíam mesmo antes das recomendações e do decreto de quarentena. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários