Campeão Dirceu Pinto morre aos 39 anos

Referência nacional, Dirceu estava internado no Luzia
Referência nacional, Dirceu estava internado no Luzia - FOTO: Monalisa Ventura/Divulgação
Mogi das Cruzes perdeu ontem um dos seus principais nomes esportivos. Dirceu Pinto, que figura no hall dos mais notórios paratletas do Brasil e detentor de quatro medalhas paralímpicas, morreu ontem no Hospital Luzia de Pinho Melo, aos 39 anos.

Coordenador das atividades paradesportivas na cidade e um dos nomes mais temidos no mundo pelos adversários na modalidade bocha adaptada, Dirceu Pinto passou mal na madrugada de quarta-feira e foi levado ao hospital, onde permaneceu sob cuidados até a tarde de ontem, quando morreu por conta de uma insuficiência cardíaca. Apesar de sua tarefa como coordenador paradesportivo, o lugar de Dirceu sempre foi nas quadras. Esclarecido e sempre muito comunicativo e solícito, em uma das muitas entrevistas ao jornal Mogi News, ele comentou sobre o seu forte vínculo com o esporte e o patamar de alto reconhecimento alcançado ao longo de sua carreira. "Eu prefiro ficar no meio das pessoas. Até tenho uma sala, mas... sala fechada não é comigo. E as pessoas me conhecem mais como Dirceu campeão e não o Dirceu coordenador. Por isso, eu gosto de estar sempre no meio dos atletas".

Dirceu foi uma das peças-chave para o desenvolvimento do paradesporto em Mogi das Cruzes. Desde 2010, a vida de cerca de 1,2 mil pessoas com algum tipo de deficiência foi transformada, graças ao projeto de caça-talentos da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel), o qual tinha Dirceu como linha de frente. Antes mesmo de se tornar um campeão paralímpico, ele visitava residências para conversar com pessoas portadoras de deficiência física, a fim de incentivar a prática de esportes. Desse projeto, muitas pessoas com mobilidade reduzida deixaram de ficar em casa e se dedicaram a alguma modalidade esportiva.

Dirceu Pinto ajudou a mudar a vida de muitas pessoas e, certamente, deixa um legado inesquecível para a cidade.