Fábrica de álcool em gel tinha crianças trabalhando

Uma ação conjunta da Polícia Militar e do Departamento de Fiscalização de Posturas da Prefeitura de Mogi das Cruzes fechou, na manhã de ontem, uma fábrica clandestina de álcool em gel, na Vila Rubens. Duas pessoas foram presas durante a operação, que também flagrou crianças trabalhando no local.

Os responsáveis pelo local também foram autuados pelo Departamento de Fiscalização de Posturas em 4 Unidades Fiscais do Município (UFM), o equivalente a R$ 719,04, por exercer atividade sem o respectivo licenciamento.

O caso aconteceu na rua Joaquim João Frederico Muhleise, na Vila Rubens. No imóvel, foram encontradas estruturas para a produção e o envasamento de álcool em gel, um dos produtos mais procurados por consumidores desde o início da pandemia de Covid-19. Entre os objetos utilizados na produção estavam caixas d'água, galões e frascos.

Um casal foi preso pela Polícia Militar e um grupo de cerca de dez menores de idade também foram encontrados trabalhando no local. Após o registro da ocorrência, o caso continuará a ser investigado pelas autoridades policiais.

Quarentena

A Prefeitura de Mogi das Cruzes também vem fiscalizando o cumprimento do decreto de quarentena do governo do Estado que restringe o funcionamento de atividades não essenciais. De acordo com a determinação do governo do Estado, somente os serviços essenciais podem funcionar a partir desta terça-feira até o dia 7 de abril. Entre os serviços que podem funcionar, estão hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, transporte público, transportadoras, armazéns, supermercados, mercados, padarias, petshops, empresas de telemarketing, deliverys, serviços de limpeza pública, postos de combustível e lojas de material de construção.

A população também pode colaborar com denúncias, por meio do telefone 153, da Guarda Municipal. O atendimento é feito 24 horas por dia e foi ampliado durante o período de crise.