Cronograma para lançamento do edital tem prazo alterado

Obras de duplicação na rodovia Mogi-Dutra, de acordo com DER, não sofreram atraso por conta da quarentena
Obras de duplicação na rodovia Mogi-Dutra, de acordo com DER, não sofreram atraso por conta da quarentena - FOTO: Mariana Acioli
Inicialmente o edital de concessão do lote de rodovias do litoral paulista, proposto pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) estaria previsto para ser concluído no final do mês passado, fato que não ocorreu devido a necessidade de alteração do projeto por parte da estatal por conta das reivindicações dos mogianos sobre a instalação de uma praça de pedágio na altura do km 45 da rodovia Mogi-Dutra (SP-88).

Agora, além da reformulação do projeto, a Artesp ainda enfrenta a falta de oportunidade para dar andamento ao projeto, provocada pelos efeitos causados pelo novo coronavírus no Estado de São Paulo, como um todo. À reportagem, a agência confirmou que o projeto está em fase de definições técnicas e que somente após apresentação dos estudos finalizados ao Poder Concedente é que será definido o novo cronograma.

Ao menos, a confirmação de que não haverá pedagiamento na rodovia mogiana já foi feita. O departamento estadual havia informado anteriormente ao anúncio oficial que estudos estavam sendo realizados para propor uma nova localidade para o posto de cobrança, ciente das demandas e preocupações da região de Mogi, mas ainda não havia confirmado que retiraria o pedágio do local inicialmente indicado.

A próxima etapa aguardada pela população mogiana é a finalização do edital, bem como sua publicação, para que, enfim, seja determinado oficialmente que a rodovia mogiana não contará com o posto de cobrança previamente proposto.

A Artesp informou que o prazo inicial era uma previsão e que nunca foi estabelecido uma data, o que inviabiliza informar que "o cronograma inicial foi desfeito".

Obras na rodovia

O período de quarentena que está sendo cumprido em todo o Estado de São Paulo, apesar de gerar prejuízos a diversos setores, não interferiu nas obras de duplicação da rodovia Mogi-Dutra. Foi o que explicou na sexta-feira passada o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), quando afirmou que a construção segue normalmente sem registros de prejuízos no cronograma das obras que ocorrem entre os municípios de Mogi das Cruzes e Arujá.

Inicialmente, a previsão de entrega das obras era para o mês de janeiro deste ano, mas o prazo foi prorrogado para novembro. De acordo com o DER, a data sofreu alterações em razão de processos judiciais de desapropriação que estavam sendo estudados na Justiça. Além disso, houve a necessidade de remover interferências na rede elétrica, linhas de tubos de gás, água e esgoto, conforme justificou o órgão.

Em janeiro foram realizados diversos trabalhos na via, como serviços de terraplanagem, drenagem, implantação de canaletas, guias, calçadas, dentre outros. Neste período também, segundo o DER, foram realizados o desmonte de aproximadamente 72 mil toneladas de rocha e corte de árvores, além da execução dos taludes, drenagens superficiais, implantação de bueiros e linhas de tubos ao longo de todo o trecho para escoamento das águas, estruturas finalizadas dos viadutos e plantio de grama.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários