Naufel sobe tom ao falar de desrespeito à quarentena

Preocupado com o alto número de pessoas nas ruas, mesmo com a intensa campanha para isolamento social, o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel, subiu o tom de seu discurso e comparou a situação do município com cidades como Milão, na Itália, e Wuhan, na China. Os dois locais estão entre os mais afetados pela Covid-19.

"Os profissionais de Saúde terão que escolher para quem será destinado o tratamento e quem não será atendido. Daqui a um mês voltamos a conversar, se não fizermos o que tem que ser feito, daqui a um mês vamos chorar como a Itália e Espanha estão chorando agora", enfatizou o titular da Pasta municipal.

As declarações foram feitas durante live transmitida ao vivo pelo Facebook, a qual o prefeito Marcus Melo (PSDB) e o vice-prefeito Juliano Abe (MDB) estiveram presentes novamente para oferecer esclarecimentos e reforçar os pedidos para conter, o mais rápido possível, a epidemia do coronavírus na cidade.

Naufel disse ainda que há muitas pessoas nas ruas em "clima de férias", o que será prejudicial a Mogi quando a já esperada "onda" de casos afetar com mais força o município. Com o previsto aumento de casos, consequentemente mais pessoas precisarão do atendimento. "Gente, não é brincadeira, olhem a economia mundial passando por problemas neste período. Mogi não está fora do mundo. Não queremos fazer a escolha de Sofia, mas é o que vai acontecer", disse Naufel, se referindo ao filme em que uma mulher pode salvar apenas uma de suas filhas da morte.

Moradores de rua

Ainda durante a transmissão ao vivo, o prefeito Melo informou que uma Organização Social (OS) será responsável pela administração do novo espaço de acolhimento de pessoas em situação de rua e que a expectativa é de que, na próxima semana, o local já comece a receber aqueles que desejarem ser atendidos. A Prefeitura promete ofertar alimentação, camas para os atendidos e espaço para acomodar os animais levados pelos moradores em situação de rua.

Finanças

Mesmo com os gastos inesperados para este momento em que o município se recuperava de uma recessão dos últimos anos, as finanças da Prefeitura, segundo informou o chefe do Executivo, Marcus Melo, seguem alinhadas, ao menos em março. Isso porque muito do abastecimento financeiro do município referente ao mês passado é originário de fevereiro. Entretanto, o prefeito foi claro ao afirmar que ainda não há uma estimativa para os próximos meses e que abril será um "termômetro" da economia para o restante do ano.