Patrulha Maria da Penha intensifica atividades

As atividades efetuadas pela Patrulha Maria da Penha em Mogi das Cruzes foram intensificação neste período de quarentena, com o objetivo de aumentar a proteção às mulheres. Atualmente, 482 mulheres são assistidas pela Patrulha com medidas protetivas contra o agressor. De acordo com a Secretaria Municipal de Segurança, o acompanhamento por meio do telefone 180 se tornou mais constante nessas quase duas semanas de quarentena.

As ações foram reforçadas nesse período de muitas mudanças de hábitos no país por conta do novo coronavírus (Covid-19), já que a maioria das famílias ficam o dia inteiro em suas residências, o que acende o sinal de alerta para o aumento de incidência de violência contra as mulheres.

Além disso, as viaturas que realizam as patrulhas pelas ruas de Mogi também se tornaram mais constantes. Segundo a Secretaria de Segurança, ainda não foi registrado aumento de casos de violência contra a mulher nesse período de quarentena.

Na semana passada, foram registrados dois flagrantes. Em um deles, o acusado foi preso por desrespeitar a medida protetiva. No outro, o homem foi encaminhado à delegacia para ter ciência sobre a medida, uma vez que ainda não havia sido notificado pela Justiça.

Outra equipe que também trabalha a serviço da proteção das mulheres é a Patrulha Maria da Penha de Suzano, que afirmou não ter registrado o aumento das ocorrências em razão da quarentena.

A delegada Silmara Marcelino, de Suzano, afirmou que existe um questionamento por trás dos números de ocorrências que estão contidos nesta quarentena. "Embora seja um resultado positivo, não sabemos o real motivo para o baixo movimento na DDM. Não sabemos se o índice da violência de fato diminuiu ou se as mulheres não estão vindo até a delegacia por medo de se contaminarem com o novo vírus", pontuou.

*Texto supervisionado pelo editor.