ACE prevê impacto nos comércios

Mesmo com restrições e prorrogação da quarentena, feiras livres serão retomadas
Mesmo com restrições e prorrogação da quarentena, feiras livres serão retomadas - FOTO: Wanderley Costa/Secop Suzano
Os comerciantes de Suzano e Alto Tietê terão um impacto ainda maior e talvez tenham sérios problemas para passarem pela nova quarentena, prorrogada para o dia 22 e anunciada pelo governador, João Doria (PSDB), para combater a Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus), afirmou a Associação Comercial de Suzano (ACE).

De acordo com a associação, os comerciantes já estão passando por diversos problemas nos setores, mesmo com as contrapartidas realizadas pelo poder público, como o adiamento do pagamento dos impostos municipais, estaduais e federais. "A situação não ficará normalizada em um curto espaço de tempo, haverá consequências complicadas logo após a crise e acreditamos que a retomada será lenta, esse ano de 2020 será um ano difícil para a economia, principalmente para os pequenos negócios", disse a ACE em nota.

Para que ninguém fique parado ou até mesmo ser prejudicado, a ACE explicou que está realizando apoio aos empresários, divulgando cursos e treinamentos online com informações e dicas sobre como minimizar os impactos da crise.

Feiras retomadas

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego anunciou que as feiras livres serão retomadas, mas com restrições e uma série de medidas preventivas contra a transmissão do coronavírus. Apenas as diurnas poderão retomar as atividades, com funcionamento limite até as 13 horas. Só poderão ser comercializados legumes, verduras, frutas e outros insumos básicos.

Poderão funcionar apenas as barracas de frutas; legumes; verduras; mandiocas; milho; cocos e derivados; miúdos; ovos; queijos e frios; e temperos e ervas. Pescados e carnes deverão ser comercializados já limpos ou em bandejas, não sendo permitida a limpeza desses no local.

Os feirantes autorizados a prestar serviços ainda terão que seguir medidas de prevenção. As barracas terão que disponibilizar desinfetante tipo álcool 70% em todos os acessos, tanto para o cliente como para os colaboradores.  

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários