Por saúde, famílias esquecem tradicional almoço de Páscoa

Páscoa - Mudanças comemorativas em meio à quarentena - Bianca Tiburcio da Silva Funcionária Pública
Páscoa - Mudanças comemorativas em meio à quarentena - Bianca Tiburcio da Silva Funcionária Pública - FOTO: Arquivo Pessoal
O novo coronavírus trouxe diversos reflexos para a sociedade, dentre eles a impossibilidade de reuniões familiares durante o período de isolamento social. No dia em que é comemorada a Páscoa, entrevistados do Mogi News afirmaram que as celebrações serão diferentes e que apenas após o controle do vírus no Brasil as reuniões familiares serão convocadas novamente.

Mudanças na rotina e sem aglomerações ao redor da mesa. Assim será a Páscoa da família da estudante Gabriela Sales, de 22 anos, e da funcionária pública Bianca Tiburcio, 22. Ambas famílias costumavam se reunir no domingo de Páscoa, mas tiveram de cancelar o encontro de familiares por possuírem pessoas idosas em suas residências.

"A gente geralmente se encontrava, comia o famoso bacalhau e trocava os ovos de Páscoa. Agora, infelizmente, por conta da quarentena, não vamos nos reunir e vamos fazer algo bem mais familiar, só com os de casa mesmo", disse Gabriela. Assim também será na família Tiburcio, que tem idosos e outras pessoas do grupo de risco e não se encontrarão hoje. "A gente reunia a família, mas não vamos conseguir fazer isso, cada família em sua casa", informou Bianca.

Mesmo com todos os reflexos negativos da doença, a pandemia do coronavírus fez com que a família Amaral conseguísse se reunir para o almoço de Páscoa, feito que não acontecia há alguns anos. Durante o período da quarentena, o auxiliar de escritório Felipe Amaral Mafra está recebendo seus pais, Rubens Martins e Iolanda Martins Mafra em sua casa, onde mora com a esposa Lucimaira Custódio Mafra e seus dois filhos, Davi Miguel e Samuel.

Nesta situação, a família Amaral que não costumava se encontrar para o almoço de Páscoa, teve a oportunidade de realizar uma confraternização neste momento em que a palavra solidariedade ganha significados práticos.

"É uma data especial para ficar com a família. Nós não estávamos conseguindo reunir nossa família na Páscoa por diversos motivos. Mas neste ano vamos conseguir celebrar a ressurreição de Cristo juntos", contou o auxiliar de escritório.

Reflexos negativos

A baixa movimentação nos comércio do Alto Tietê em razão da pandemia da Covid-19 deve afetar negativamente as vendas para a Páscoa. A Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) já projetava desde o início da semana passada que a tradicional compra do bacalhau e de demais peixes poderia sofrer uma queda nas vendas para este ano, em razão da quarentena imposta nas cidades da região, o que reduziu a circulação de pessoas.

Deixe uma resposta

Comentários