PSC tem maior bancada em Ferraz

Neto Cambiri, Rose Fitness e Clovis Ottoni reforçaram o partido durante a janela
Neto Cambiri, Rose Fitness e Clovis Ottoni reforçaram o partido durante a janela - FOTO: Divulgação/Câmara de Ferraz de Vasconcelos
Com o fim da chamada janela partidária, ou seja, do período em que vereadores candidatos à reeleição podem trocar de partido sem correr o risco de sofrer alguma punição, no último dia 3, o Partido Social Cristão (PSC) passou a ser a legenda com o maior número de assentos na Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos. Na prática, a sigla que até então não tinha nenhum representante na Casa eleito, em 2016, soma agora três cadeiras. O troca-troca começou, em 6 de março.

Com isso, os novos filiados do partido são Ananias Coelho Neto, o Neto Cambiri (ex-PSL), Clovis Ottoni Sousa, o Clovis Eletricista (ex-PSD) e Roseli Aparecida Messias Ferreira, a Rose Fitness (ex-Republicanos). Com os ingressos dos três parlamentares, a direção do PSC acredita que a legenda está reforçada e, ao mesmo tempo, formará uma chapa competitiva com 26 candidatos a vereador nas eleições municipais, possivelmente, em outubro deste ano.

Além deles, também mudaram de legenda, Claudio Roberto Squizato (ex-PSB) para o PL, Renato Ramos de Souza, o Renatinho Se Ligue (ex-Cidadania) para o PSDB, Hodirlei Martins Pereira, o Mineiro (ex-Cidadania) para o PSD, Agílio Nicolas Ribeiro David (ex-PSB) para o PSD e Flavio Batista de Souza, o Inha (ex-PTB) para o Podemos. A lista inclui ainda Alexandre Barboza dos Santos, o Professor Xandão (ex-PDT) para o Cidadania.

A movimentação atingiu ainda Pedro Paulo de Almeida, o Professor Pedro (ex-PL) para o PSB, Marcos Antonio Castello, o Ratinho (ex-Solidariedade) para o Republicanos e Antonio Marcos Atanazio, o Marcos BR (ex-MDB) para o Solidariedade. Por sua vez, nessas mudanças, o PSB, o PL, o Solidariedade e o Republicanos mantiveram as suas bancadas alternando apenas os nomes. O PSD ganhou uma cadeira. Em contrapartida, PDT, o PTB e o PSL perderam toda a sua representação na Casa. O Cidadania perdeu um assento.

Até agora, a única indefinição paira sobre o vereador Luiz Fabio Alves da Silva, o Fabinho. Em 2016, ele (foto) foi eleito pelo MDB para o seu sexto mandato, aliás, é o atual recordista na Casa. No momento, o parlamentar articula a sua ida para o Partido Socialista Brasileiro (PSB).