Igrejas se adaptam ao momento e fazem as celebrações on-line

Com igrejas e templos vazios devido a pandemia do coronavírus (Covid-19), a Páscoa, que será celebrada neste domingo, será diferente para padres, pastores e fiéis, que terão que se adaptar à modernidade e acompanhar celebrações pelas mídias digitais em suas casas.

As mudanças no rito das igrejas católicas durante a Tríduo Pascal (Semana Santa) já começaram ontem, quando não houve a realização da Missa de "Lava-Pés". Para hoje, mais alterações estão previstas. Durante a Sexta-Feira da Paixão de Cristo será acrescentada a Oração Universal, uma intenção especial pelos doentes, pelos falecidos e pelos que sofreram alguma perda durante a pandemia.

No Domingo de Páscoa, data mais importante para os cristãos, nada de celebrações nas igrejas. Enquanto durar o estado de emergência, recomenda-se que as celebrações da Santa Missa e de outros atos de piedade, ainda sem a presença do povo, se possível, continuem sendo transmitidos e divulgados.

"Tenho 28 anos de idade e nunca presencie uma Páscoa desta forma. Conversando com padres mais idosos, eles também não se recordam de uma Páscoa sem a realização dos eventos religiosos. Uma mudança que nos fez readaptar toda nossa vida e nossas celebrações", disse o pároco da igreja Nossa Senhora do Carmo, padre Jonatas Pereira Diniz. Mesmo com os fiéis não podendo participar das celebrações in loco, as missas poderão ser acompanhadas pela televisão e mídias digitais.

Quem acompanha as redes sociais dos padres de Mogi das Cruzes e do Alto Tietê aprova o novo formato de acompanhar as celebrações religiosas, mas sentem falta das missas presenciais. "A presença na missa nos faz falta porque deixamos de estar juntos das pessoas da comunidade. A comunhão me faz falta, sim", confirmou a católica Gesmir da Silva Debre, que atualmente está acompanhando as transmissões do padre Diniz pelo Facebook.

Evangélicos

A mudança no rito da celebração da Páscoa aos evangélicos também ocorrerá. A Igreja Bíblica Brasileira de Mogi das Cruzes vai comemorar a ressurreição de Cristo em casa, com apresentações disponibilizadas aos fiéis via internet. "Nós ajustamos todas as atividades para as plataformas digitais, com músicas especiais e outras celebrações", disse o pastor Leonadro Tarrataca.

Mesmo com as alterações necessárias, os líderes religiosos afirmam que o mais importante neste momento é celebrar a ressurreição de Cristo em suas casas, mantendo o verdadeiro significado da Páscoa. "Eu gosto de falar em essência e forma. A forma (de celebração) pode ser alterada, como já foi ao longo dos anos. Já a essência continua sendo a mesma", explicou o pastor Tarrataca.