Marcus Melo esclarece encontro com chinês Marcos Zheng

O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo (PSDB), foi ao ar no programa do Grupo Bandeirantes de Comunicação, "Brasil Urgente", no início da noite de ontem, onde detalhou seu encontro com o suposto presidente da Associação de Shangai no Brasil, Marcos Zheng, preso ontem pelo Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope) e pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) por liderar uma quadrilha que roubou um lote com três mil equipamentos que seriam destinados para médicos e enfermeiros no enfrentamento da pandemia do coronavírus (Covid-19).

Entre os materias apreendidos foram encontrados duas milhões de máscaras de proteção facial, luvas, Equipamentos de Proteção Individual (EPI), macacão e 15 mil testes rápidos para identificação do coronavírus. O lote foi encontrado no Aeroporto Internacional de Guarulhos. A quadrilha negociava os produtos por R$ 3 milhões para venda irregular.

Segundo explicou o prefeito Marcus Melo ao jornalista José Luiz Datena, um dos encontros com Zheng ocorreu em abril do ano passado, após convite oficial feito à comitiva mogiana pelo governo chinês. Conforme divulgado à época pelo jornal Mogi News, Marcus Melo e sua comitiva esteve na China em missão oficial para colocar Mogi das Cruzes no radar para futuros investimentos provenientes daquele país, uma das maiores potências econômicas do mundo. O único contato que a comitiva mogiana teve com Zheng foi em reuniões com a presença de funcionários de empresas daquele país, quando o suspeito se passou por representante da província de Shangai. "Fomos à China em missão oficial para trocar experiência comercial e deixar Mogi à disposição de companhias que queiram investir no nosso município. Na ocasião, Zheng foi apresentado como presidente da Associação de Shangai no Brasil. Não chegamos a ter nenhum tipo de relacionamento, nem com empresários, muito menos com ele (Zheng)", explicou o prefeito de Mogi.

Desde o início de seu mandato, Marcus Melo vem se aproximando de empresas, não só chinesas, mas de outros países, a fim de despertar o interesse de empresários para investir em Mogi das Cruzes.

Agora, a polícia tenta desvendar como o suspeito ficou tanto tempo envolvido com o governo chinês, se passando por representante da província de Shangai. Marcos Zheng chegou a ter reunião com Geraldo Alckmin, na época em que era governador de São Paulo.