Sobe para 11 o número de mortes por Covid-19 em Mogi

Mogi das Cruzes registrou novos óbitos por Covid-19 no último final de semana, subindo para 11 o número de vítimas fatais entre moradores da cidade. Atualmente, há 85 casos confirmados da doença e outros 92 aguardando resultados de exames. No total, o município recebeu 481 notificações suspeitas, das quais 304 foram descartados (188 negativos e 116 sem coleta).

As vítimas fatais mais recentes foram um senhor de 77 anos e outro de 80 anos, que faleceram na sexta-feira, dia 10; um senhor de 78 anos que faleceu no dia 11; e uma senhora de 86 anos que faleceu ontem. Todos tinham históricos de outras doenças pré-existentes.

O número de óbitos por coronavírus nos municípios do Alto Tietê chegou a 21. Com o registro da primeira morte em Itaquaquecetuba, também subiu para cinco o número de cidades com vítimas fatais do coronavírus. Os municípios com mais óbitos são Mogi das Cruzes (11) e Suzano (7). Arujá, Itaquaquecetuba, Poá têm um caso fatal cada.

Além de Mogi das Cruzes, neste final de semana prolongado foram registrados óbitos em Itaquaquecetuba (1 caso - mulher de 45 anos)e Suzano (4 casos - duas mulheres de 78 e 80 anos e dois homens de 75 e 76 anos).

Com base nesses últimos dados, Suzano segue com a maior taxa de letalidade por coronavírus em todo o Alto Tietê - 25% (7 mortes entre 28 pacientes confirmados). Em Mogi das Cruzes a taxa de letalidade é de 13,09% (11 óbitos entre 84 confirmados.

Itaquá

Após a confirmação da primeira morte por Covid-19 no município, a Prefeitura de Itaquá lamentou o caso. "É com pesar que a Prefeitura de Itaquaquecetuba anuncia a primeira morte em decorrência da pandemia do Covid-19 no município. Trata-se de uma mulher 45 anos, que faleceu dia 10 de abril e estava internada no Hospital Santa Marcelina desde o dia 30 de março. A paciente apresentou febre, tosse e não possuía histórico de comorbidades".

O prefeito da cidade Mamoru Nakashima (PSDB) lamentou a morte da munícipe e reforçou a necessidade da população ficar em casa. "Essa semana temos uma família chorando a perda de um ente querido em decorrência dessa doença. Cabe a nós pedir para que as pessoas continuem atendendo o nosso pedido para que fiquem em suas casas para que mais famílias não vivam essa dor e para que os hospitais não fiquem superlotados e também para que tenhamos condições de atender quem precisa com todos os nossos esforços".