Hospitais de campanha seguem em construção no Alto Tietê

A maior parte dos hospitais de campanha do Alto Tietê segue em construção, em ritmo acelerado, para disponibilização de novos leitos, seja de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) ou enfermagem. Nas unidades provisórias de Mogi das Cruzes, Poá e Suzano a etapa atual é a de instalação de equipamentos necessários para que, em breve, comecem a funcionar, sendo Poá a mais adiantada até o momento.

Indefinição

Arujá é o único município da região que propôs a ofertar um hospital de campanha sem que ainda tenha um local definido. O formato da unidade, assim como o cronograma de obras, também seguem indefinidos.

Avenida Cívica

Em Mogi das Cruzes, o hospital está sendo montado na Avenida Cívica, no Mogilar. Ocorre atualmente a instalação das redes para implantação de oxigênio e gases medicinais, processo mais demorado. Posteriormente, serão feitos os serviços de acabamento da estrutura. Paralelamente, uma equipe multidisciplinar trabalha na finalização do plano de trabalho e detalhamento de toda infraestrutura necessária, bem como equipe de atendimento.

Para evitar furtos dos equipamentos já instalados no hospital, a Guarda Civil Municipal (GCM) estará presente no local 24 horas por dia, conforme garantiu a Prefeitura.

Os encaminhamentos serão feitos pelos profissionais dos hospitais da cidade, para casos leves e moderados, que não precisam de UTI. Está sendo finalizado o plano de trabalho com todos os detalhes, o que impossibilita saber quantos funcionários da Saúde serão contratados para atuar no local.

Adiantado

Diferente de Poá, que já anunciou que 50 profissionais serão somados ao quadro municipal via Organização Social (OS). Por lá, cerca de 90% dos trabalhos foram concluídos, onde será realizado atendimento de casos graves que precisarem de mais recursos e também casos leves para internação e triagem. A unidade de Saúde já está toda equipada.

Mobília

Já em Suzano, depois da instalação da e estrutura física realizada nos últimos dias, como o piso e as divisórias, e os postos de enfermagem, o local já está na etapa de montagem do mobiliário e instalação de equipamentos. Em paralelo, ocorre a organização de um fluxograma dos profissionais de saúde que irão atuar neste novo serviço, que pode aumentar de acordo com a demanda. Os detalhes estão sendo definidos e poderá haver contratações futuramente, conforme a demanda, mas este processo ainda vem sendo formatado. Haverá a presença de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e equipe administrativa no espaço, que também terá "área de descanso", com alas feminina e masculina para os profissionais repousarem.

Questionada, a Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos não informou qual a porcentagem de conclusão dos trabalhos nem qual estágio se encontra atualmente