Prefeitura já fechou quase 500 comércios na quarentena

Registrada como supermercado, Havan está autorizada a funcionar normalmente
Registrada como supermercado, Havan está autorizada a funcionar normalmente - FOTO: Mariana Acioli
Desde o início das operações de fiscalização do comércio durante o período da quarentena decretada pelo governo do Estado, 498 estabelecimentos tiveram suas atividades paralisadas em Mogi das Cruzes.

São estabelecimentos como adegas, bares, bazares, bombonieres, cabeleireiros, consertos de eletrônicos, lanchonetes, óticas, restaurantes, salões de festa e lojas de som automotivo. Nos estabelecimentos de setores que estão liberados a funcionar, é paralisada a atividade não permitida e ele continua funcionando, adaptado ao que determina o decreto.

No começo deste mês, a Guarda Municipal de Mogi das Cruzes e o Departamento de Fiscalização de Posturas da prefeitura também evitaram, na manhã de domingo passado, a aglomeração de pessoas na chamada "Feira do Rolo", no distrito de Jundiapeba. Além disso, ao menos cinco das grandes redes bancárias com unidades em Mogi das Cruzes e região apresentaram filas durante toda a manhã dos últimos dias 6 e 7, principalmente nas avenidas Voluntário Fernando Pinheiro Franco, conhecida popularmente como Avenida dos Bancos, e Francisco Ferreira Lopes, onde ao menos oito agências bancárias apresentaram filas nas calçadas e movimento intenso dentro das unidades. Para se ter uma ideia dos trabalhos de fiscalização, em apenas um dia, em 24 de março, primeiro dia de quarentena, 53 estabelecimentos em Mogi foram fechados.

"É importante lembrar que nos estabelecimentos que estão liberados a funcionar é paralisada a atividade não permitida. O estabelecimento continua funcionando com o que é permitido pelo decreto", afirmou em nota a Secretaria Municipal de Segurança.

Havan

Questionada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Segurança informou que a loja Havan tem a classificação de "supermercado" como principal atividade em seu registro junto ao Sistema Integrado de Licenciamento (SIL) e, por isso, o estabelecimento está autorizado a funcionar, de acordo com o decreto de quarentena do governo do Estado. A situação é semelhante à das Lojas Americanas.

A reportagem apurou que, na tarde da última segunda-feira, havia filas e aglomerações na unidade da Havan de Braz Cubas. "Normalmente, o controle sobre estes comportamentos é feito pelos funcionários dos estabelecimentos", informou o Executivo mogiano.

Deixe uma resposta

Comentários