Prazo para renegociar dívidas é estendido para 45 dias

A medida seguida pela Associação Comercial e Empresarial (ACE) de Suzano para impedir a inscrição de devedores nos cadastros de proteção de crédito, como Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) e Serasa, por três meses, vai beneficiar o devedor nesta época de pandemia do coronavírus (Covid-19). Pelo menos por ora, enquanto não ocorre a votação do projeto no Senado, a ACE explicou que a partir de amanhã todos o devedores incluídos no SCPC terão um prazo maior para negociar suas dívidas.

O documento que passou pela Câmara dos Deputados e está sujeito à aprovação do Senado, prevê que nenhum inadimplente seja incluído nas listas do serviços por 90 dias, contados a partir de 20 de março.

Mas, como a determinação está sujeito à análise, a ACE de Suzano explicou que o SCPC, a partir de amanhã, irá definir um prazo maior para que o inadimplente negocie suas dívidas antes que sejam efetivamente divulgadas nas consultas. O prazo que era de 20 dias passará a ser de 45 dias. "A medida foi necessária em vista do momento atual econômico que estamos passando devido a pandemia, desta forma, o devedor terá prazo maior para negociar com o credor e conseguirá ter um planejamento melhor de suas finanças. É um momento em que o setor econômico de uma forma geral precisa encontrar meios para minimizar os prejuízos para a população", explicou a ACE, em nota.

A medida determinada pela Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), válida pelo período de 90 dias, faz parte das ações adotadas pelos credores em geral para repactuação do crédito em meio à pandemia do novo coronavírus. Na prática, devedores e credores terão um prazo maior para renegociar a dívida e, assim, evitar o processo de negativação, que implica na restrição de crédito ao consumidor e no desfalque financeiro para o credor por um período que pode se estender por anos.

O crédito é um instrumento essencial na economia, principalmente na retomada das atividades. Por isso, a importância de manter as possibilidades de renegociação dos débitos de forma responsável para que, tão logo essa pandemia seja controlada, os negócios possam ser restabelecidos mais rapidamente

*Texto supervisionado pelo editor.