Ocupação das UTIs pela Covid-19 é de apenas 18%

Atualmente, Mogi ampliou para 106 o número de leitos
Atualmente, Mogi ampliou para 106 o número de leitos - FOTO: PMMC/Divulgação
O número de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em decorrência de complicações causadas pelo novo coronavírus continua baixo no município, com taxa de ocupação de apenas 18,8%. Isso significa que a cada dez leitos disponíveis dois estão sendo utilizados. O município possuí, atualmente, 106 leitos de UTI.

Até a última sexta-feira, 48 pacientes estavam internados na cidade com confirmação para a doença ou com sintomas claros, sendo 20 em UTI - onze em hospitais públicos (cinco no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes e seis no Hospital Luzia de Pinho Melo) e sete em privados.

Os números, no entanto, não revelam tranquilidade por parte do Executivo, pelo contrário. Prevendo que o auge da doença chegue à cidade em cerca de um mês, o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel, afirmou que a taxa de ocupação é satisfatória justamente pelo isolamento social mantido pelos mogianos. "A quantidade de internados está bem aquém da nossa capacidade, ou seja, ainda temos a possibilidade de internar muito mais pacientes. Estamos conseguindo que os casos mais agudos consigam ser tratados da forma correta", disse.

Respiradores

Os números favoráveis em Mogi das Cruzes fazem com que a realidade da distribuição dos respiradores não seja sentida de forma acentuada. Isso porque, desde o início da pandemia, o Executivo mogiano comprou 23 respiradores, sendo que apenas 12 já foram entregues. O restante, no entanto, não chegou às unidades de saúde mogianas e ainda não há uma data para que isso ocorra.