Guararema corta salários para investir contra o coronavírus

Leite:
Leite: "Agricultura tem um peso na região" - FOTO: Mogi News/Arquivo
O prefeito de Guararema Adriano Leite (PL) anunciou na tarde de segunda-feira um pacote de medidas administrativas para conter gastos durante a pandemia do coronavírus (Covid-19). Dentre as principais ações anunciadas pelo chefe do Executivo guararemense, destacam-se a redução de 30% em seu salário e também de seu vice, além do corte de 20% nos vencimentos dos secretários municipais e de funcionários públicos que atuam no gabinete do prefeito.

"Tenho convicção que, em momentos difíceis como este, temos que ser os primeiros a agir. Estamos priorizando os investimentos em Saúde e contingenciando as despesas", disse o prefeito, informando ainda que as medidas começam a ter validade no próximo mês.

O Executivo informou ainda que uma comissão interna será criada para analisar cargos comissionados que podem ser exonerados, visto que a Prefeitura também irá suspender, gradativamente, mais de 15% das funções do tipo. Com as medidas adotadas, a administração municipal prevê economia de R$ 2 milhões até o final deste ano, montante que deve ser investido na manutenção do centro de combate ao coronavírus e outras ações para enfrentamento da pandemia.

Com a medida, o salário do prefeito será - a partir de maio - de R$ 12.200,12 e não mais 17.428,74 como prescrito em lei - redução de R$ 5.228,62. Já para os secretários, com a redução de 20% dos vencimentos, os salários serão de R$ 9.362,12 (sem os devidos descontos legais). O valor regular dos salários dos secretários é de R$ 11.702,65

Após o anúncio de redução dos salários do Executivo, a Câmara também se manifestou e informou que, até dezembro deste ano, os salários dos parlamentares serão reduzidos em 20%. Com isso, os vereadores guararemenses terão redução de R$ 1.008 e receberão, a partir de maio, R$ 4.032. As prefeituras de Mogi das Cruzes e Suzano foram questionadas pela reportagem sobre o assunto, no entanto o corte de salários, ao menos por enquanto, não é discutido.

Alesp

Na Assembleia Legislativa, um projeto de resolução que reduz em 30% o salário dos deputados e a verba de gabinete de cada um dos 94 parlamentares, além de 20% do salário dos funcionários comissionados e revisão de todos os contratos público será publicado hoje. O projeto é de iniciativa dos próprios legisladores e visa contribuir com o equilíbrio da economia no Estado e garantir mais investimentos na Saúde.

"A Assembleia Legislativa dá o exemplo, cortando da própria carne. Estamos reduzindo nossos salários e enxugando todos os gastos possíveis nesse momento tão difícil", afirmou o deputado Estevam Galvão (DEM), que colaborou com o projeto.

Entre outras medidas, o projeto garante ainda a destinação de 70% dos valores do fundo especial de reservas da Alesp e 7% do orçamento do Legislativo para os cofres públicos estaduais; suspensão do pagamento de licença prêmio em dinheiro para os funcionários e corte dos contratos vigentes em até 40%. A economia representa 1/4 do orçamento anual da Alesp. 

Deixe uma resposta

Comentários